03:11 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    O presidente da Câmara dos Deputados, Paul Ryan olha para o presidente dos EUA Donald Trump enquanto ele assina medida que prevê a desaprovação do Congresso de uma regra apresentada pela Comissão de Valores Mobiliários sobre Divulgação de Pagamentos por Emissores de Extração de Recursos. No Salão Oval da Casa Branca em Washington, EUA, 14 de fevereiro de 2017

    Paul Ryan: 'Memorando de Comey sobre reunião com Trump deixa perguntas sem resposta'

    © REUTERS / Carlos Barria
    Américas
    URL curta
    710
    Nos siga no

    O memorando que o ex-diretor do FBI, James Comey, escreveu depois de sua reunião com o presidente Donald Trump em fevereiro requer um exame mais aprofundado e deixa algumas perguntas sem resposta, disse o presidente da Câmara dos EUA, Paul Ryan.

    Trump despediu James Comey na semana passada. Na tarde de ontem, o jornal The New York Times revelou que o ex-diretor mantinha registros de uma conversa na qual Trump pedia para ele encerrar uma investigação sobre seu primeiro conselheiro de Segurança Nacional, Michael Flynn quanto aos laços dele com a Rússia e a Turquia.

    "Estou certo de que vamos querer ouvir o Sr. Comey sobre o porquê, se isso aconteceu como ele supostamente descreve, ele não tomou nenhuma ação no momento. Há um monte de perguntas sem resposta", disse Ryan a repórteres.

    Ryan observou que o Comitê de Supervisão e Reforma do Governo da Câmara "apropriadamente" solicitou o memorando no qual Comey descreve a tal conversa com Trump. Ao mesmo tempo, Ryan afirmou que os relatórios exigem exame mais atento.

    "É óbvio que existem algumas pessoas que querem prejudicar o presidente, mas temos a obrigação de realizar a supervisão, independentemente de qual partido está na Casa Branca. Isso significa que antes de apressar o julgamento, temos [de analisar] todas as informações", afirmou o presidente da Câmara.

    Mais:

    Demissão do chefe do FBI pode virar um pesadelo para Trump
    Trump diz que pode escolher novo diretor do FBI na próxima semana
    Senado dos EUA: 'não há provas' de conluio de Trump com a Rússia
    Trump volta a negar envolvimento russo em sua campanha
    Tags:
    Comitê de Supervisão e Reforma do Governo da Câmara dos EUA, Câmara dos Deputados dos EUA, Departamento de Segurança Nacional dos EUA, The New York Times, Casa Branca, FBI, Michael Flynn, Donald Trump, James Comey, Estados Unidos, Turquia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar