02:36 29 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    912
    Nos siga no

    O presidente do Comitê de Inteligência do Senado dos Estados Unidos, Richard Burr, disse que não há provas de conluio entre o presidente Donald Trump e a Rússia.

    Segundo o senador, é improvável que o diretor do FBI, James Comey, tenha sido demitido por impedir a investigação do tema.

    "Até o momento, não houve evidência de conluio [entre Trump e Rússia]", disse Burr nesta sexta-feira, citado pela emissora Fox News. "Isso diminui a alegação de que se tentou impedir uma investigação, porque não há nada de comprometedor, de acordo com as evidências que se tem hoje em dia".

    O presidente da comissão observou que a demissão de Comey pode atrasar o acesso do Comitê à certas pessoas que trabalham para o FBI, porque o novo diretor da agência ainda não foi indicado.

    No entanto, Burr expressou confiança de que a investigação irá avançar, apesar das dificuldades temporárias.

    A Casa Branca informou nesta quinta-feira que Trump encorajou o Departamento de Justiça a concluir a investigação em andamento sobre a alegada intromissão da Rússia nas eleições presidenciais dos EUA. A investigação provavelmente será conduzida pelo vice-procurador-geral Rod Rosenstein, de acordo com o governo Trump.

    A Rússia tem negado repetidamente as alegações dos EUA da suposta interferência de Moscou nas eleições de 2016. Kremlin classificou as acusações de absurdas. O porta-voz do presidente da Rússia, Dmitry Peskov, negou contatos com a equipe do Trump durante a campanha presidencial.

    Mais:

    Sanders sugere que Trump demitiu chefe do FBI porque tem algo a esconder
    Trump demite diretor do FBI
    Diretor do FBI que não sabe distinguir ameaças reais de fictícias
    Tags:
    FBI, Senado dos EUA, Richard Burr, James Comey, Donald Trump, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar