02:29 18 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    21310
    Nos siga no

    Agência Central de Investigação dos EUA (CIA) criou um centro para resistir à ameaça nuclear da Coreia do Norte. Neste contexto, o especialista Aleksandr Kubyshkin declarou ao serviço russo da Rádio Sputnik que esta criação apenas comprova as sérias intenções dos EUA na região.

    A CIA criou um centro operativo coreano para resistir à ameaça nuclear representada por Pyongyang, diz o comunicado da agência.

    Destaca-se que o objetivo principal deste centro se trata de "utilizar todos os recursos, oportunidades e poderes da agência (CIA) para resolver o problema da ameaça nuclear e balística por parte da Coreia do Norte".

    Além disso, o centro "irá cooperar com a inteligência e toda a comunidade da segurança nacional dos EUA".

    O professor da Universidade Estatal de São Petersburgo, Aleksandr Kubyshkin apontou, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, que a criação do centro comprova a seriedade das intenções dos EUA na região:

    "Vale assaltar que é o primeiro centro regional criado nos últimos anos pela CIA e orientado para a política dos EUA e para fortalecimento da cooperação militar estratégica com a Coreia do Sul. Isso prova o aumento da atenção dos Estados Unidos quanto à situação na península Coreana, causado pelas peripécias ao redor do programa nuclear da Coreia do Norte e no âmbito dos novos rumos da política externa norte-americana. Vale destacar que os norte-americanos precisam aparentemente esclarecer todas as maquinações da política norte-coreana, em particular, a tática e estratégia de Kim-Jong-un. Talvez por isso foi criado o centro analítico de inteligência."

    O especialista destaca que EUA aproveitam todas as oportunidades para recolher informações:

    "Toda essa atividade pode ser realizada a partir de Okinawa [ilha do Japão], centros móveis e grupos de americanos podem ser deslocados em navios que estão se dirigindo para a península Coreana. Assim monitorariam a situação. Segundo estimativas de analistas norte-americanos, o mais importante é que ela [situação] não sairá de controle. A imprevisibilidade de Kim Jong-un intimida os norte-americanos, pois ainda não elaboraram uma política definitiva em relação à situação na península Coreana."

    Mais:

    CIA abre nova representação na Coreia do Sul
    Japão pondera adquirir mísseis Tomahawk no meio da tensão com a Coreia do Norte
    Apertando o cerco das sanções: novas medidas da Alemanha contra a Coreia do Norte
    Coreia do Norte reafirma que está determinada a lutar contra os EUA
    Tags:
    centro, política externa, ameaça nuclear, vigilância, inteligência, programa nuclear, segurança, CIA, Kim Jong-un, Península Coreana, Okinawa, Coreia do Sul, Coreia do Norte, EUA, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar