07:18 22 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, com uma cópia da Constituição

    Opinião: convocação da Assembleia Nacional agravará conflitos na Venezuela

    © REUTERS / Palácio de Miraflores
    Américas
    URL curta
    Presidente contra Parlamento: Constituinte venezuelana (7)
    1026

    A decisão do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, de convocar a Assembleia Constituinte para alterar a Constituição provocará nova onda de protestos em massa, pois a oposição do país não vai apoiar, disse, nesta terça-feira (2), em entrevista à Sputnik um especialista russo.

    O presidente do Parlamento venezuelano, Julio Borges, chamou a decisão de Maduro violação da Constituição e golpe militar. Um dos principais líderes da oposição, Henrique Capriles, chamou atenção de toda a população para que saia às ruas e que diga não à proposta do presidente. Na terça-feira, a Assembleia Nacional pretende discutir a situação no país, estando os primeiros protestos planejados para o mesmo dia.

    "O presidente está arriscando. No país, os protestos vão continuar. Vinte e nove pessoas morreram. Para este ano estão previstas as eleições autárquicas, e o presidente Maduro decidiu mudar a Constituição, aprovada ainda por Hugo Chávez. Mas agora Maduro tenta criar uma assembleia constitucional, que seja constituída apenas por seus apoiadores, e alterar a Constituição, não estando claro como será realizada a assembleia", opinou o chefe do departamento de estudos políticos do Instituto da América Latina russo Zbignev Ivanovsky.

    De acordo com o especialista, se levar em consideração a proporção das forças políticas e o ranking de 20% do presidente, tal decisão levará a uma escalação do conflito e não à estabilização.

    "A situação está muito instável, pois é claro que a oposição não vai travar um diálogo sob estas condições. Se Maduro aprovar uma Constituição, que não seja apoiada pela maioria da população, então a situação agravará ainda mais. Receio que isto possa provocar mais protestos nas ruas, ou seja, vai aumentar a violência em vez de diminui-la. Em outras palavras, a proposta de Maduro de convocar Assembleia Constituinte não é uma boa resolução do problema", sublinhou o especialista.

    Ele também destacou, que do ponto de vista jurídico, as ações de Maduro condizem com a lei. "A Constituição tem um artigo que diz que o povo tem o direito de mudá-la. Mas o presidente venezuelano já disse que o comitê iria ser formado por pessoas próximas a ele, e ninguém reconhecerá a assembleia sob tais condições", frisou Ivanovsky.

    Tema:
    Presidente contra Parlamento: Constituinte venezuelana (7)

    Mais:

    Revolução na Venezuela: por que o país se retira da OEA?
    Parlamento Europeu aprova resolução que condena situação na Venezuela
    Tags:
    protestos, constituição, Assembleia Nacional, Nicolás Maduro, América do Sul, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik