01:51 28 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    114
    Nos siga no

    Pentágono lançou o programa especial Invada a Força Aérea dos EUA (Hack the Air force, em inglês) e convida especialistas em cibersegurança norte-americanos e de países-parceiros para tentar arrombar sites cruciais da Força Aérea dos EUA.

    O Departamento da Defesa dos Estados Unidos aponta que essa iniciativa é "uma parte do programa de segurança cibernética, financiada pelo serviço de informação da força aérea para atrair 'talentos tanto dentro, como fora do Departamento'".

    "Esse meio externo destina-se a revelar nossos pontos vulneráveis na área de segurança através do talento e experiência dos nossos cidadãos e dos países-parceiros, contribuindo, assim, para fortalecimento da nossa segurança cibernética", explica o chefe da sede da Força Aérea dos Estados Unidos, general David L. Goldfein.

    Segundo opina o diretor do serviço da segurança informática, Peter Kim, hackers com más intenções "tentam invadir os sistemas [do Pentágono] todos os dias".

    "Será melhor se hackers parceiros tentarem [invadir os sistemas], mostrando-nos como podemos melhorar nossa cibersegurança, bem como nossos meios de defesa."

    Mais:

    Embaixador: Rússia propôs cooperação de cibersegurança aos EUA, mas não obteve resposta
    Segurança cibernética e satélites custarão à OTAN 3 bilhões de euros
    Rússia: 'O Pentágono está criando uma arma para ataque global em massa'
    Embaixada da Rússia nos EUA classifica prisão de hacker russo como 'ilegal' e 'sequestro'
    Hacker russo se declara culpado por crime cibernético contra os EUA
    Tags:
    sistema, avanço, hackers, ataque cibernético, cibersegurança, Força Aérea dos EUA, Pentágono, David Goldfein, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar