22:56 18 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Presidente dos EUA Donald Trump

    Um presente às corporações: Trump anuncia o 'maior corte de impostos na história dos EUA'

    © REUTERS/ Kevin Lamarque
    Américas
    URL curta
    964661

    O presidente dos EUA, Donald Trump, revelou seu plano tributário, que propõe cortes acentuados para as empresas e aqueles que retornam os lucros das empresas no exterior para os EUA.

    O governo Trump delineou sua nova proposta fiscal, que se apoia fortemente em cortes de impostos. A proposta já está sendo criticada por estar repleta de brindes às corporações.

    "É interessante reparar que Trump foi eleito por uma base anti-establishment", disse o analista de política financeira Daniel Sankey à Sputnik. "Ele era até odiado pelo seu próprio partido, ao que parecia, tanto quanto pelos os democratas".

    "E agora surge esse plano de impostos, na verdade de um tipo bem tradicional, típico projeto neo-conservador e neoliberal de cortes maciços de impostos para os extremamente ricos, com poucas soluções ou propostas para como as lacunas deixadas serão preenchidas".

    O secretário do Tesouro, Steven T. Mnuchin, disse nesta quarta-feira que o presidente Trump quer reduzir drasticamente a taxa máxima de impostos para grandes e pequenas empresas para 15%, muito abaixo da atual taxa de 35%, a mais alta entre as economias desenvolvidas.

    "Você não tem que ser um economista ou um matemático para entender o que é uma diminuição maciça. As pessoas estimam que será uma perda de aproximadamente US $ 2,4 trilhões na próxima década", disse Sankey, apontando que o novo plano não parece ter solução para uma fonte alternativa de receita.

    Os impostos compõem uma parcela grande do orçamento nacional que vai aos militares dos EUA, e Trump disse que aumentará os gastos militares por $ 54 bilhões durante o ano seguinte.

    "O que você está ouvindo de Trump e Steven Mnuchin… é que, essencialmente, o corte de impostos enorme vai se pagar por si só graças ao crescimento econômico… A realidade é que precisamos de uma taxa de crescimento sustentado de aproximadamente 5 por cento para fazer esses 2,4 trilhões, e nós não temos esse tipo de taxa de crescimento há muito tempo, pelo menos não de forma sustentada", explicou Sankey.

    "Então, o que vai acontecer é que haverá um aumento no déficit e isso vai exigir mais cortes nos gastos do governo e, pelo menos, como a administração tem se configurado até agora, você pode apostar que esses cortes não serão no Departamento de Defesa, eles vão serão nos serviços sociais. "

    "O que você estamos vendo é esta total desconexão entre o que está acontecendo no lado financeiro… e o que está acontecendo com o resto dos cidadãos dos EUA na vida diária… De um lado vemos lucros recorde e a especulação e estagnação".

    Tags:
    impostos, Daniel Sankey, Donald Trump, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik