11:44 18 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    CIA

    Caça a informadores do WikiLeaks: a CIA tem traidores?

    © CIA Web Site
    Américas
    URL curta
    384330

    A Inteligência dos EUA está tentando encontrar informadores do WikiLeaks entre os funcionários da CIA, informa o canal de televisão CBS.

    Citando suas próprias fontes que conhecem a situação, o CBS informou que começou uma "caça aos traidores dentro da CIA". Segundo o canal, "a CIA e o FBI estão investigando juntas o maior vazamento da informação confidencial da CIA, ligada a mil documentos supersecretos sobre os meios para penetrar em celulares, televisões e sistemas de computadores."

    Destaca-se que "objeto da caça" é "um funcionário ou empreiteiro da agência que possuía acesso físico aos materiais". No entanto, a CIA não revela detalhes sobre o vazamento.

    Anteriormente, o WikiLeaks tinha publicado uma série dos documentos confidenciais da CIA, recebidos pelo HIVE. O HIVE, um aplicativo secreto, foi usado para transferir informações dos dispositivos eletrônicos das pessoas espiadas para a CIA e para receber comandos de executar tarefas específicas nesses mesmos dispositivos.

    O WikiLeaks publicou a primeira remessa de documentos da CIA em 7 de março, acrescentando que esta publicação se tornaria o maior vazamento de dados confidenciais da agência norte-americana.

    A parte já publicada conta com mais de 8 mil documentos e arquivos, que eram mantidos na rede interna do Centro de Reconhecimento Cibernético na sede da CIA em Langley, no estado da Virgínia.

    Mais:

    Vazamento de informações: WikiLeaks publica nova série de documentos secretos da CIA
    CIA: 'Wikileaks é um serviço de inteligência hostil apoiado pela Rússia'
    CIA pode hackear seu Windows, revela WikiLeaks
    WikiLeaks publica 3ª parte de Vault 7, o vazamento de dados da CIA
    Tags:
    vazamento, informações confidenciais, documentos secretos, agências de inteligência, caça, HIVE, FBI, WikiLeaks, CIA, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik