11:16 13 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, ouve uma pergunta de jornalista durante o seu ministro russo das Relações Exteriores, Sergey Lavrov, após visita a Moscovo, na Rússia, na quarta-feira, 12 de abril de 2017.

    Secretário de Estado dos EUA: 'Acordo Nuclear com o Irã não conseguiu atingir objetivos'

    © AP Photo/ Ivan Sekretarev
    Américas
    URL curta
    9116

    O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, afirma não atingiu a meta em impedir que o Irã de construir uma potencial arma nuclear.

    "O Plano Global de Ação Conjunta (JCPOA) não conseguiu atingir o objetivo do Irã não-nuclear," Tillerson afirmou. "Ele só atrasa o objetivo deles em se tornar um estado nuclear", afirmou o secretário a repórteres nesta quarta.

    Tillerson acrescentou que o JCPOA ignorou todas as outras potenciais ameaças graves iranianas.

    Hoje mais cedo, a Casa Branca anunciou que o presidente Donald Trump havia ordenado uma revisão interagencial de 90 dias do JCPOA, analisando a conformidade do Irã com o acordo.

    Na terça-feira, Tillerson disse em uma carta ao presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, Paul Ryan, que enquanto o Irã estava cumprindo suas obrigações sob a JCPOA, uma revisão foi ordenada para determinar se a suspensão de sanções anti-iranianas correspondia a interesses de segurança dos EUA.

    O Irã e o grupo P5 + 1 — Estados Unidos, Rússia, China, França e Reino Unido mais Alemanha — assinaram o acordo JCPOA, assegurando a natureza pacífica do programa nuclear de Teerã em troca do levantamento gradual das sanções.

    O acordo entrou em vigor em 16 de janeiro de 2016, depois da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) apresentar um relatório confirmando a disponibilidade das autoridades iranianas para implementar o programa para reduzir o potencial nuclear do país.

    Mais:

    Irã não precisa de permissão para construir mísseis, diz presidente
    Irã mostra seu caça mais recente de 5ª geração (VÍDEO)
    E se o Irã realizar treinamentos militares no Golfo do México?
    Irã e Rússia cada vez mais próximos
    Tags:
    Plano Global de Ação Conjunta, Câmara dos Deputados dos EUA, Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Casa Branca, Paul Ryan, Donald Trump, Irã, Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido, França, China, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik