05:17 28 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    0321
    Nos siga no

    Os analistas do centro de desenvolvimento RAND exortaram o Departamento da Defesa dos EUA a avaliar como a OTAN poderá superar os elementos da defesa antimíssil em Kaliningrado, diz o relatório publicado no portal da entidade.

    "Os vários cenários e situações anormais de que tínhamos ouvido falar na Suécia, Estônia, Letônia e Polônia sobre as ações da Rússia e as possíveis medidas de resposta da OTAN devem ser avaliados pelo Departamento da Defesa dos EUA… Isso se refere a uma representação exata do papel que Kaliningrado, com seu forte sistema de defesa antimíssil, deve desempenhar. Como é que a OTAN vai neutralizá-lo? O problema cria a questão da escalada e da potencial resposta russa às iniciativas que a Rússia vai considerar como um ataque contra o país", diz o comunicado do RAND norte-americano.

    Além disso, os analistas exortaram Pentágono a avaliar as capacidades da Rússia para desestabilizar politicamente os países do Báltico, "incluindo a tomada de um enclave e a escalada da situação interna", bem como em criar obstáculos para o seu reforço.

    ​O lado russo tinha repetidamente negado as informações sobre uma ameaça militar para a independência dos Países Bálticos por parte de Moscou. Segundo o ministro das Relações Exteriores da Rússia Sergei Lavrov, tais declarações são absurdas e infundadas.

    Entretanto, nos Países Bálticos perto das fronteiras russas estão sendo posicionados batalhões da OTAN e a Aliança realiza regularmente manobras na região. Segundo os dados do ministro da Defesa russo Sergei Shoigu, a quantidade de forças da OTAN perto das fronteiras russas aumentou em 8 vezes em 10 anos.

    "O Departamento da Defesa dos EUA pode utilizar jogos políticos e militares para perceber as possíveis dificuldades da Aliança em alcançar um consenso, as possibilidades disponíveis para a OTAN e o tempo necessário. Uma análise mais detalhada das forças da segurança interna dos Países Bálticos também seria útil", diz o documento.

    Os analistas dos EUA também aconselharam o Pentágono a utilizar "vários cenários extraordinários", como a conquista da Gotlândia (a maior ilha da Suécia e do mar Báltico), e que "melhore a troca de informações no âmbito da OTAN".

    ​Segundo os analistas, a tensão nas relações com a Rússia representa uma possibilidade para os países da OTAN manterem o nível de interação entre os parceiros da Aliança após a saída do Afeganistão. Eles acrescentaram também que o apoio à adesão à Aliança está crescendo na Suécia e na Finlândia.

    Mais:

    Chefe do Pentágono apela para negociar com Rússia a partir de 'posição de força'
    Chefe do Pentágono: possibilidades para cooperar com Rússia estão diminuindo
    Tags:
    Rússia, EUA, OTAN, Pentágono, Departamento de Defesa dos EUA, ameaça militar, Defesa antimíssil (DAM), resposta, avaliação, ação, tensão, informações, medidas, iniciativa, analista, capacidade militar, cenário
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar