04:27 12 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Opositor britânico Jeremy Corbyn, líder do Partido Trabalhista

    Líder trabalhista britânico exorta cooperação entre Putin e Trump para conflito sírio

    © REUTERS / Peter Nicholls
    Américas
    URL curta
    520

    O líder do Partido Trabalhista britânico, Jeremy Corbyn, disse que Vladimir Putin e seu colega norte-americano Donald Trump devem trabalhar em prol do processo de paz sírio.

    O presidente russo, Vladimir Putin, e seu colega norte-americano, Donald Trump, devem se comprometer com o processo de paz sírio, disse o líder do Partido Trabalhista britânico, Jeremy Corbyn, na terça-feira.

    "Putin e Trump têm que se reunir, são as superpotências do mundo, Vladimir Putin pode ser forçado a seguir a todo tipo de direção se houver suficiente pressão política sobre ele", disse Corbyn a repórteres, como citado pelo jornal The Guardian.

    O líder trabalhista também pediu aos países do G7 para se envolverem com a Rússia e outros países vizinhos da Síria, a fim de reavivar o processo de Genebra.

    Na sexta-feira, Corbyn apelou para iniciar as negociações de paz em Genebra sobre os recentes ataques e exortou o governo britânico a "lançar seu peso por trás das negociações de paz e um acordo político abrangente".

    A quinta rodada das negociações de Genebra sobre a reconciliação síria mediada pela ONU concluiu-se em 31 de março, com o Enviado Especial da ONU para a Síria Staffan de Mistura afirmando que, embora não houvesse avanço, os lados continuaram avançando na discussão das questões-chave.

    Mais:

    Rússia possui dados sobre provocações com uso de armas químicas em preparação na Síria
    Base aérea síria volta a funcionar um dia depois de ser bombardeada pelos EUA
    Estado-Maior russo: Militantes levam substâncias toxicas à Síria para EUA atacarem de novo
    Tags:
    Partido Trabalhista britânico, The Guardian, G7, ONU, Staffan de Mistura, Jeremy Corbyn, Donald Trump, Vladimir Putin, Estados Unidos, Genebra, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik