20:16 21 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Prédio do Congresso dos EUA, Washington

    Casa Branca: Trump informou o Congresso dos EUA sobre o ataque à base aérea síria

    © flickr.com/ Stephen Melkisethian
    Américas
    URL curta
    1345

    O presidente dos EUA, Donald Trump, enviou uma carta ao Congresso norte-americano, informando sobre o ataque de mísseis à base da Força Aérea da Síria e afirmando que os Estados Unidos tomarão medidas adicionais para garantir a segurança nacional do país, informou a Casa Branca neste sábado.

    "Eu dirigi esta ação para degradar a capacidade do exército sírio de realizar mais ataques com armas químicas e dissuadir o regime sírio de usar ou proliferar armas químicas, promovendo assim a estabilidade da região e evitando o agravamento da atual catástrofe humanitária", escreveou Trump, segundo o texto divulgado pela Casa Branca.

    "Eu atuei nos interesses vitais da segurança nacional e política externa dos Estados Unidos, de acordo com a minha autoridade constitucional de conduzir as relações externas e na qualidade de Comandante em Chefe e Chefe do Executivo. Os Estados Unidos tomarão medidas adicionais, quando for necessário e apropriado, para garantir sues interesses nacionais", acrescentou Trump.

    Na noite de quinta-feira, os Estados Unidos realizaram um ataque com mísseis contra a base aérea de Shayrat, localizada a cerca de 40 quilômetros da cidade de Homs, alegando, sem provas, que o ataque químico ao Idlib teria sido lançado a partir dessa localidade.

    No início do dia, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse que o ataque de mísseis dos EUA violou o direito internacional.

    Mais:

    Lavrov: extremistas se beneficiaram com o ataque dos EUA contra a Síria
    Primeiro-ministro turco elogiou o ataque dos EUA contra a base aérea síria
    Trump felicita militares por 'representar bem dos EUA' em ataque contra a Síria
    Militantes do Daesh usam gás tóxico contra civis em Mossul
    Tags:
    mísseis, ataque, Casa Branca, Congresso dos EUA, Donald Trump, Síria, Shayrat, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik