23:04 22 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    O presidente dos EUA, Donald Trump dá ordem para realizar ataque massivo contra base aérea síria devido ao acidente com arma química em 6 de abril de 2017

    Mídia refresca memória de Trump de quando ele se mostrou contra bombardeios da Síria

    © AFP 2017/ JIM WATSON
    Américas
    URL curta
    Ataque norte-americano contra base aérea síria (82)
    301930131

    A mídia francesa lembrou, após ataques de mísseis contra Síria, realizados de acordo com a ordem do presidente dos EUA, Donald Trump, que em 2013 ele se manifestou contra bombardeios da Síria, especialmente sem autorização do Congresso norte-americano.

    "Muitas pessoas lembram as mensagens de Donald Trump, feitas em 2013, quando os EUA estavam à beira de intervenção militar na Síria", informa o portal France TV Info.

    Para provar essas declarações, o portal adicionou duas imagens das mensagens de Trump publicadas em sua página do Twitter nos dias 29 e 30 de agosto de 2013.

    ​"O que ganhamos com bombardeios da Síria além de aumento de dívida e possibilidade de um conflito de longo prazo? Obama precisa de autorização do Congresso", escreveu Trump há quatro anos.

    ​"O presidente tem de receber autorização do Congresso antes de bombardear Síria, será erro grave caso não obtenha e o faça!", escreveu ele em sua segunda mensagem.

    Há quatro anos, Donald Trump avisou Barack Obama:

    ​"Mais uma vez, para nosso líder tolo, não ataque a Síria — se fizer isso, muitas coisas ruins irão acontecer e desta luta os EUA não ganharão nada!"

    Mas, ao se tornar presidente dos EUA, Trump toma a decisão de atacar a base governamental síria usando mísseis de cruzeiro.

    Além disso, o senador norte-americano, Rand Paul, também declarou que Trump deveria receber autorização do Congresso dos EUA para realizar ataque contra base militar síria.

    Nesta sexta-feira (7), as forças dos EUA realizaram um ataque com 59 mísseis de cruzeiro Tomahawk a partir de dois destroieres localizados nas águas do mar Mediterrâneo contra a base aérea de Shayrat na província síria de Homs.

    O ataque foi dirigido a uma instalação militar da qual, segundo estimativas da Casa Branca, as forças do governo de Bashar Assad realizaram um ataque com armas químicas contra a cidade de Jan Sheijun, na província de Idlib.

    Segundo opina o chefe do Comitê de Defesa e Segurança do Conselho da Federação da Rússia, Viktor Ozerov, as ações dos EUA podem ser consideradas um ato de agressão contra o país membro da ONU. Consequentemente, a Rússia exigirá realização de reunião de Conselho de Segurança da ONU divido à realização do ataque de mísseis contra base aérea síria.

    Tema:
    Ataque norte-americano contra base aérea síria (82)

    Mais:

    Ao atacar base aérea na Síria, Trump apoiou o Daesh, diz parlamentar russo
    Trump exorta 'nações civilizadas' a se unirem aos EUA para 'acabar com o abate' na Síria
    Trump disse que poderá discutir com Putin o ataque químico na Síria
    Conselheiro de Trump: EUA planejam aumentar presença militar na Coreia do Sul
    Tags:
    mídia ocidental, mensagem, lembranças, autorização, violação, ataque, bombardeio, Twitter, Conselho da Federação, Conselho de Segurança da ONU, ONU, Congresso, Bashar Assad, Viktor Ozerov, Rand Paul, Donald Trump, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik