07:29 15 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Bombardeiro B-52 da Força Aérea dos EUA

    EUA necessitam modernizar toda sua tríade nuclear, diz chefe do Comando Estratégico

    © AFP 2019 / Paul Crock
    Américas
    URL curta
    316
    Nos siga no

    O chefe do Comando Estratégico dos EUA (USSTRATCOM) declarou que é preciso modernizar os bombardeiros estratégicos dos EUA, bem como os mísseis balísticos intercontinentais e os que são lançados de submarinos.

    O chefe do USSTRATCOM general John Hyten disse, durante seu discurso no Congresso, que os EUA devem modernizar sua tríade nuclear em suas componentes aérea, naval e terrestre.

    "O foco principal de nossos esforços de dissuasão nuclear deve ser orientado para toda a infraestrutura nuclear", disse Hyten. "Quase todos os elementos da tríade nuclear estão operando para além do fim do prazo de exploração previsto."

    A tríade nuclear dos EUA consiste de três componentes: bombardeiros estratégicos, mísseis balísticos intercontinentais (ICBM) e mísseis balísticos lançados de submarinos.

    Hyten disse que os EUA devem primeiro modernizar as plataformas, tais como os ICBM, os submarinos e os bombardeiros nucleares pesados, depois modernizar as armas nucleares e no final o comando nuclear e a arquitetura de controle.

    O vice-presidente do Estado-Maior Conjunto dos EUA, general Paul Selva, disse em março de 2017 que os EUA têm que modernizar sua tríade nuclear para deter ou responder ao potencial ataque nuclear de seus rivais, como a Rússia ou China. O custo aproximado desta modernização é de $ 1 trilhão (R$ 3,1 trilhões).

    Mais:

    EUA e Reino Unido continuam vendendo armas à Arábia Saudita apesar de crimes de guerra
    EUA: Abrir mão das armas nucleares é irreal por causa da Coreia do Norte
    China exige fim do acordo de armas entre EUA e Taiwan
    Tags:
    míssil balístico intercontinental, armas nucleares, armas modernas, USSTRATCOM, Comando Estratégico dos EUA, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar