03:55 16 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    0314
    Nos siga no

    O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, que inesperadamente deu uma entrevista aos jornalistas na véspera da cúpula dos chefes das chancelarias dos países membros da OTAN, declarou que a Aliança Atlântica irá discutir quais serão suas ações em resposta à "agressão russa".

    "Finalmente, queremos discutir a posição da OTAN na Europa, em particular na Europa do Leste, em resposta à agressão russa na Ucrânia e outros lugares", disse Tillerson apresentando a agenda do encontro.

    Ele apontou que "está muito feliz por assistir a esse encontro em Bruxelas" que foi adiado para 31 de março para que ele pudesse assisti-lo.

    O secretário de Estado lembrou que se irá tratar primeiramente da "existência de todos os recursos necessários para que a OTAN realize suas missões". "Em segundo lugar, queremos negociar meios para continuar o trabalho da OTAN no combate ao Daesh [organização terrorista proibida na Rússia], bem como outras ações antiterroristas que poderão ser realizados pela OTAN, e trazer a estabilidade ao Oriente Próximo", declarou.

    Além disso, ele destacou que "não consideramos que a OTAN deva desempenhar sempre o papel principal no combate ao terrorismo. Esse papel será frequentemente desempenhado por outros, incluindo governos nacionais, a coalizão internacional e a União Europeia".

    Moscou tem repetidamente declarado que a Rússia não é parte do conflito ou sujeito dos acordos sobre regulação da situação na Ucrânia, não presta apoio aos rebeldes e não envia suas tropas para Donbass. Ao mesmo tempo, Kiev continua acusando a Rússia de "agressão militar".

    Mais:

    Opinião: Aviões da OTAN são muito mais ativos do que os russos no Báltico
    Ucrânia será tema principal da primeira reunião entre Rússia e OTAN em 2017
    Tanques franceses Leclerc da OTAN serão deslocados na Estônia
    Opinião: Montenegro na OTAN será péssimo para os EUA e a Europa
    Tags:
    Rússia, EUA, Moscou, Bruxelas, Oriente Próximo, Rex Tillerson, OTAN, Daesh, coalizão internacional, UE, Cúpula da OTAN, agressão militar, agressão russa, combate ao terrorismo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar