01:44 30 Março 2017
Ouvir Rádio
    Exercícios Foal Eagle com militares de EUA e Coreia do Sul (arquivo)

    'EUA preparam ataque militar preventivo contra Coreia do Norte'

    © AP Photo/ Lee Jin-man
    Américas
    URL curta
    8510317931

    O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, admitiu durante a sua primeira visita a Tóquio que é necessária uma "nova abordagem" quanto à situação na Coreia do Norte "diante de uma ameaça cada vez maior", escreve o jornalista James Holbrooks.

    Em seu artigo para o portal Anti-media, o autor destaca que as autoridades norte-coreanas acusam Washington de recorrer a poder de fogo durante os exercícios conjuntos com a Coreia do Sul.

    Holbrooks cita a agência de notícias sul-coreana Yonhap, segundo a qual "a Coreia do Norte acusou a Coreia do Sul e os EUA de escalarem a ameaça de ataque nuclear".

    "E, dependendo da narrativa, a Coreia do Norte pode ter razão", aponta o autor.

    Anteriormente a Anti-Media informou que militares da maioria das unidades de elite norte-americanas, incluindo a Delta Force, os Navy SEALs e os Army Rangers, foram deslocados pela primeira vez para a Coreia do Sul para participar de manobras. Além disso, seu objetivo principal é "simular a destituição do líder norte-coreano, Kim Jong-um".

    Holbrooks compara a situação atual da Coreia do Norte com a operação de remoção do líder terrorista Osama bin Laden, sublinhando que os resultados da "incursão" só se tornaram conhecidos depois de esta ter terminado.

    Do ponto de vista do autor, a mídia manipula a opinião pública, fazendo-o acreditar que a Coreia do Norte é um "vilão", e cita, a este respeito, o exemplo de um recente relatório da CNN.

    "A inteligência americana e o Departamento de Defesa estão antecipando que a Coreia do Norte lançará em breve uma nova série de testes de seu programa nuclear e de mísseis, de acordo com funcionários dos EUA".

    O general Joseph Dunford, comandante do Estado-Maior Conjunto, declarou, depois de falar com o seu homólogo sul-coreano, o general Sun e Jin Lee, "ter havido mudanças na ameaça nuclear e de mísseis da Coreia do Norte", além de "reconhecer a possibilidade de que a Coreia do Norte poderia realizar ações proativas".

    "E agora, o próprio secretário de Estado dos EUA está solicitando uma nova estratégia para a Coreia do Norte", enfatiza Holbrooks.

    A administração de Donald Trump está disposta a levar a cabo uma ação militar preventiva contra Pyongyang, continua o jornalista. Assim, pouco depois da declaração de Tillerson, o presidente norte-americano reforçou no seu Twitter:

    "A Coreia do Norte está se comportando muito mal. Têm estado "a brincar" com os EUA durante anos. O China tem feito pouco para ajudar!".

    ​Desta forma, Tillerson irá pressionar a China para que contenha a Coreia do Norte, ou, caso contrário, Washington "assumirá as suas responsabilidades".

    "Esta suposta pressão deverá ser exercida este fim-de-semana, enquanto o secretário de Estado está realizando sua primeira viagem a Pequim", conclui Holbrooks.

    Mais:

    EUA podem aplicar novas sanções contra Coreia do Norte
    Qual será o cenário da guerra possível entre EUA e Coreia do Norte?
    EUA não excluem aplicação de força contra Coreia do Norte
    Opinião: EUA e Coreia do Sul "ensaiam" o assassinato do líder norte-coreano
    Tags:
    manobras, ameaça nuclear, ataque preventivo, Donald Trump, Kim Jong-un, Rex Tillerson, EUA, Coreia do Sul, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik

    Todos os comentários

    • Julio Cesar
      Se fizer quem vai sofrer as consequencias serão seus " aliados". Esse caras são mestres em encher o rabo dos outros de pimenta.
    Mostrar comentários novos (0)