14:23 22 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    042
    Nos siga no

    O presidente Donald Trump realizou sua primeira reunião com a chanceler alemã Angela Merkel na Casa Branca na sexta-feira e organizou uma coletiva de imprensa conjunta pouco depois.

    Quando perguntado por um repórter sobre reivindicações que Obama espionou a Trump Tower, o presidente gesticulou para a líder alemã e disse, "pelo menos temos algo em comum, talvez".

    Em 2010, a Agência de Segurança Nacional (NSA) monitorou o celular da Merkel com autorização direta do presidente Barack Obama. Depois que Merkel descobriu sobre a escuta, ela divulgou um comunicado em que classificava a ação americana como "totalmente inaceitáveis, se fossem verdade".

    "Isso seria uma grave violação de confiança", disse Merkel através de seu porta-voz Steffen Seibert na época. "Tais práticas devem ser imediatamente interrompidas".

    Trump e Merk descreveram sua reunião como "muito boa", e quando questionados pelos repórteres se eles discutiam a OTAN, Trump respondeu que eles "discutiam muitas coisas". Na conferência de imprensa, que começou quase uma hora de atraso, Trump elogiou a liderança da chanceler Merkel, dizendo que as duas nações devem trabalhar juntas para "derrotar o terrorismo radical islâmico" e o Daesh (autodenominado Estado Islâmico, proibido na Rússia e em vários outros países).

    "A imigração é um privilégio, não um direito", disse Trump, "e a segurança de nossos cidadãos sempre deve vir em primeiro lugar".

    Por seu lado, Merkel abriu suas observações dizendo que é sempre melhor falar umas com as outras, em vez de falar umas com as outras. Questionada por um repórter se ela aprova o estilo de Trump, Merkel disse que recebeu uma calorosa recepção e que os dois líderes tentaram chegar a um compromisso sobre questões em que eles discordam.

    "Às vezes é difícil encontrar um compromisso, mas é para isso que fomos eleitos", disse Merkel.


    Durante sua campanha presidencial, Trump criticou duramente Merkel por suas políticas liberais em aceitar refugiados, dizendo que ela estava "estragando Alemanha". Esperava-se que a dupla também discutisse a Rússia, e durante a coletiva, Trump afirmou que as duas nações irão trabalhar em conjunto para chegar a um plano de paz em relação à Ucrânia.

    "O presidente estará muito interessado em ouvir as opiniões do chanceler sobre sua experiência de interagir com Putin", disse um alto funcionário do governo a repórteres.

    Mais:

    Merkel sobre medidas de Trump: 'Precisamos reagir a esse desafio'
    Merkel: eleição de Trump inaugura uma nova era na história mundial
    Trump afirma que Merkel cometeu erro catastrófico
    Tags:
    Rússia, Washington, Ucrânia, Alemanha, Estados Unidos, Vladimir Putin, Barack Obama, Angela Merkel, Steffen Seibert, Estado Islâmico, Agência Nacional de Segurança (NSA), Casa Branca, Daesh, Trump Tower
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar