12:10 24 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    142
    Nos siga no

    O presidente Donald Trump realizou sua primeira reunião com a chanceler alemã Angela Merkel na Casa Branca na sexta-feira e organizou uma coletiva de imprensa conjunta pouco depois.

    Quando perguntado por um repórter sobre reivindicações que Obama espionou a Trump Tower, o presidente gesticulou para a líder alemã e disse, "pelo menos temos algo em comum, talvez".

    Em 2010, a Agência de Segurança Nacional (NSA) monitorou o celular da Merkel com autorização direta do presidente Barack Obama. Depois que Merkel descobriu sobre a escuta, ela divulgou um comunicado em que classificava a ação americana como "totalmente inaceitáveis, se fossem verdade".

    "Isso seria uma grave violação de confiança", disse Merkel através de seu porta-voz Steffen Seibert na época. "Tais práticas devem ser imediatamente interrompidas".

    Trump e Merk descreveram sua reunião como "muito boa", e quando questionados pelos repórteres se eles discutiam a OTAN, Trump respondeu que eles "discutiam muitas coisas". Na conferência de imprensa, que começou quase uma hora de atraso, Trump elogiou a liderança da chanceler Merkel, dizendo que as duas nações devem trabalhar juntas para "derrotar o terrorismo radical islâmico" e o Daesh (autodenominado Estado Islâmico, proibido na Rússia e em vários outros países).

    "A imigração é um privilégio, não um direito", disse Trump, "e a segurança de nossos cidadãos sempre deve vir em primeiro lugar".

    Por seu lado, Merkel abriu suas observações dizendo que é sempre melhor falar umas com as outras, em vez de falar umas com as outras. Questionada por um repórter se ela aprova o estilo de Trump, Merkel disse que recebeu uma calorosa recepção e que os dois líderes tentaram chegar a um compromisso sobre questões em que eles discordam.

    "Às vezes é difícil encontrar um compromisso, mas é para isso que fomos eleitos", disse Merkel.


    Durante sua campanha presidencial, Trump criticou duramente Merkel por suas políticas liberais em aceitar refugiados, dizendo que ela estava "estragando Alemanha". Esperava-se que a dupla também discutisse a Rússia, e durante a coletiva, Trump afirmou que as duas nações irão trabalhar em conjunto para chegar a um plano de paz em relação à Ucrânia.

    "O presidente estará muito interessado em ouvir as opiniões do chanceler sobre sua experiência de interagir com Putin", disse um alto funcionário do governo a repórteres.

    Mais:

    Merkel sobre medidas de Trump: 'Precisamos reagir a esse desafio'
    Merkel: eleição de Trump inaugura uma nova era na história mundial
    Trump afirma que Merkel cometeu erro catastrófico
    Tags:
    Trump Tower, Daesh, Casa Branca, Agência Nacional de Segurança (NSA), Estado Islâmico, Steffen Seibert, Angela Merkel, Barack Obama, Vladimir Putin, Estados Unidos, Alemanha, Ucrânia, Washington, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar