08:55 23 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Diretor da Inteligência Nacional dos EUA, James R. Clapper

    Ex-diretor de Inteligência Nacional nega que telefone de Trump tenha sido grampeado

    © AP Photo / Andrew Harnik
    Américas
    URL curta
    1701

    O ex-diretor da Inteligência Nacional dos EUA, James Clapper, negou afirmações de que as conversas do presidente Donald Trump tenham sido ouvidas antes da eleição, informou a NBC News.

    "Nenhuma atividade foi detectada para espionar o presidente, presidente eleito ou um candidato ou campanha", disse Claper.

    Ontem, Trump publicou vários tweets contra o seu antecessor, Barack Obama, acusando-o de "grampear" seus telefones "durante o sagrado processo eleitoral" em outubro passado.

    Trump comparou Obama a Richard Nixon, implicado durante a década de 70 no caso de espionagem e perseguição de opositores políticos e grupos ativistas usando organizações policiais e serviços de inteligência, como o Federal Bureau of Investigation (FBI). O caso ficou conhecido como "Watergate" e levou à renúncia do presidente.

    O porta-voz de Obama, Kevin Lewis, disse por sua vez que nem o presidente Obama nem outros funcionários da Casa Branca jamais vigiaram qualquer cidadão dos EUA. "Qualquer sugestão em contrário é falsa", disse ele.

    O Comitê de Inteligência do Senado dos EUA planeja investigar em breve se as conversas de Trump foram realmente interceptadas.

    Mais:

    Mídia: Trump decide pôr de lado planos de cooperação com Rússia contra Daesh
    EUA: Comitê de Inteligência investigará suposto conluio entre Rússia e campanha de Trump
    Tags:
    Watergate, FBI, Casa Branca, Senado dos EUA, Comitê de Inteligência do Senado dos EUA, Richard Nixon, Barack Obama, Kevin Lewis, James R. Clapper, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar