02:31 20 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Produtos de Carne

    Tchau Brasil, hola México: Rússia fecha acordo com mexicanos para importação de carne

    © Sputnik / Elizabeth Azarova
    Américas
    URL curta
    322011

    Em dezembro de 2012, o Serviço Federal de Vigilância Veterinária e Fitossanitária da Rússia limitou as exportações de carne do Brasil, Canadá, México e Estados Unidos, devido ao teor ractopamina, um aditivo de ração proibido usado para engorda do animal. Agora, os russos fecharam um acordo preliminar com os mexicanos para retomar as importações.

    As partes têm negociado a retomada do envio de carne para a Rússia nos últimos anos.

    "Espero que tudo isso seja decidido muito rápido, a minha visita à Rússia está sendo planejada, possivelmente para o final de abril, para reunir-se com o ministro da Agricultura [Alexander Tkachev]", disse o ministro da Agricultura mexicano, Jose Calzada Rovirosa, explicando que o acordo prevê a troca da carne mexicana seria trocada pelo trigo russo.

    A ractopamina é proibida em 160 países, incluindo nos Estados-Membros da União Aduaneira e da União Europeia. Em 2014, a Rússia impôs um embargo de alimentos a alguns produtos originários de países que o visaram com sanções, o que aproximou a relação com a América Latina.

    No entanto, parte da carne brasileira segue proibida no Brasil e as negociações quanto ao desbloqueio e ao uso da substância restrita não tiveram novidades nos últimos tempos.

    Mais:

    Exportações da carne brasileira para a Rússia estão retomando os volumes de 2014
    Rússia será determinante para exportações de carne brasileira em 2015
    Carne paquistanesa pode competir com a brasileira
    Tags:
    Ractopamina, Serviço Federal de Vigilância Veterinária e Fitossanitária da Rússia, União Europeia, Ministério da Agricultura do México, Ministério da Agricultura da Rússia, Alexander Tkachev, Jose Calzada Rovirosa, Estados Unidos, América Latina, Canadá, Brasil, México, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar