20:59 29 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    744
    Nos siga no

    Casey Anthony, apelidada de "a mãe mais odiada da América" foi vista em um protesto contra medidas do presidente Trump no resort Mar-A-Lago, na Flórida.

    Casey tem 30 anos e em 2008, enfrentou uma possível condenação à morte após ser acusada de homicídio de primeiro grau contra a filha de 2 anos, Caley Anthony. Em um julgamento polêmico e amplamente divulgado na mídia, ela foi declarada inocente, para a surpresa de milhões de pessoas que protestaram contra a decisão por todos os Estados Unidos. Ela, que na época do julgamento vivia em Orlando, hoje mora em West Palm Beach, próximo ao local da manifestação.

    A promotoria tentou provar que Anthony deixou o bebê no porta-malas de um carro enquanto continuou com sua vida normalmente, passando dias fora de casa indo de uma festa a outra nos clubes de Orlando. O desaparecimento da criança só foi investigado porque a mãe de Casey, Cindy, entrou em contato com um serviço de emergência dizendo que não via a neta há quase um mês e que o carro de Casey fedia a "cadáver".

    A menina foi encontrada em uma floresta próxima de casa.

    Casey foi condenada a quatro anos de prisão por dar informações falsas aos investigadores que estavam procurando sua filha, mas foi libertada depois de um mês do julgamento por pena servida.

    Cerca de 3 mil pessoas se posicionaram em frente ao resort, onde Trump estava hospedado para assistir à final do Super Bowl, o evento esportivo mais importante no calendário dos EUA. Casey, que raramente é vista em público, usava um chapéu de beisebol virado para trás, pulseiras brilhantes e acenava para um conhecido quando foi flagrada em vídeo.

    Quando abordada pela rede de TV local WPTV, Casey se recusou a dar entrevista, mas afirmou que ela se opõe às políticas de Trump.

    O protesto foi organizado pelo South Florida Activism e pela Marcha das Mulheres da Flórida e se dirigia ao decreto de Trump que limita temporariamente a imigração de sete nações predominantemente muçulmanas.

    Mais:

    Marcha das Mulheres: mais de 500 mil lotam as ruas de Washington em protesto contra Trump
    Uma pessoa foi ferida a tiro durante um protesto anti-Trump em Portland
    Tiroteio deixa feridos durante protesto contra Trump em Seattle
    Tags:
    Super Bowl, Marcha das Mulheres da Flórida, South Florida Activism, WPTV, Donald Trump, Caley Anthony, Estados Unidos, West Palm Beach, Orlando, Flórida
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar