03:10 15 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    436
    Nos siga no

    Gina Haspel, nomeada como primeira vice-diretora da Agência Central de Inteligência dos EUA (CIA) no novo governo de Trump, chefiou uma prisão secreta na Tailândia, comunica a Associated Press.

    A alta oficial tem trabalhado na CIA ao longo de três décadas e, agora, foi promovida a primeira vice-diretora da agência, sendo que no passado ela chefiou um estabelecimento penitenciário onde dois prisioneiros, os terroristas Abu Zubaydah and Abd al-Rahim al-Nashiri, foram torturados através de uma simulação de afogamento, frisa a AP.

    Haspel é a primeira mulher a ocupar um posto tão alto na CIA. Segundo assinala a fonte, ainda não se sabe se sua nomeação pode influenciar um eventual reinício do programa de torturas praticado na presidência de George W. Bush e cancelado por seu sucessor, Barack Obama.

    Donald Trump, por sua vez, considera a tortura como uma ferramenta legítima de interrogatório, embora o novo chefe do Pentágono, James Mattis, e o diretor da CIA, Mike Pompeo, não o apoiem nesta questão.

    O ex-diretor da inteligência nacional, James Clapper, que resignou em janeiro, aprovou a escolha de Trump quanto à nova dirigente.

    "O fato de ele ter escolhido uma veterana experiente da agência, respeitada tanto pelos colegas como por aqueles que trabalham fora da entidade, é um ponto a seu favor", afirmou Clapper.

    Mais:

    Ex-militar da CIA: Putin poderá dar Snowden de presente para Trump?
    Arquivos da CIA confirmam que EUA financiaram nacionalistas radicais da Ucrânia
    Diretor da CIA acusa Rússia de usar 'política de terra arrasada' na Síria
    Tags:
    prisão, tortura, Mike Pompeo, Donald Trump, James R. Clapper, Tailândia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar