05:16 22 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente dos EUA, Donald Trump, conversa por telefone com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, na Sala Oval da Casa Branca, em 28 de janeiro de 2017

    Trump: relações russo-americanas devem 'seguir em frente'

    © REUTERS / Jonathan Ernst
    Américas
    URL curta
    6111
    Nos siga no

    Tendo em conta as preocupações de alguns senadores no país quanto às relações russo-americanas, o presidente dos EUA, Donald Trump, considera que ambos os países "devem seguir em frente", declarou à Sputnik o conselheiro de Trump para a política exterior durante a companha eleitoral, Walid Phares.

    De acordo com Phares, muitos legisladores norte-americanos apontam para o caráter controverso das relações entre a Rússia e os EUA, bem como para "os numerosos problemas que vieram do passado e continuam existindo até hoje."

    "Ele [Trump] entende a inquietação de alguns senadores, mas diz que estamos em uma nova fase e que devemos seguir em frente", notou o interlocutor da agência.

    Além disso, Phares acha que, no futuro, é possível criar uma coalizão para combater o terrorismo com participação da Rússia e dos EUA.

    Donald Trump e Barack Obama antes da cerimônia
    © REUTERS / Carlos Barria
    De referir que o presidente da Síria, Bashar Assad, por sua vez, recentemente declarou, em entrevista à televisão portuguesa que, se Trump mantiver a palavra dada no que tange ao combate ao terrorismo, tornar-se-á um aliado natural da Síria — com a Rússia e o Irã.

    Quanto à criação, no futuro, de uma aliança antiterrorista com a participação da Rússia e dos EUA, o conselheiro de Trump para a política exterior acrescentou que "estão sendo mantidos contatos e os líderes de ambos os países decidiram trabalhar em conjunto para encontrarem uma solução. Entretanto, é possível que sejam criadas alianças incluindo não só Rússia e os EUA, mas também alguns países árabes e islâmicos".

    Durante a campanha eleitoral, Trump prestou especial atenção ao combate ao Daesh (organização terrorista proibida em muitos países, incluindo a Rússia). Ao mesmo tempo, ele disse tencionar melhorar as relações com a Rússia para que os dois países lutem juntos contra os terroristas.

    Donald Trump tem dito muitas vezes que tenciona normalizar as relações com a Rússia. De acordo com o presidente dos EUA, as duas partes poderão beneficiar com isso.

    No sábado passado (28), teve lugar a primeira conversa telefónica, após a sua posse, entre Donald Trump e o presidente da Federação da Rússia, Vladimir Putin. Considerando os resultados da conversa, a Casa Branca declarou que esse contato se tornou um passo importante na melhoria das relações bilaterais. O Kremlin também apontou que a conversa demonstrou uma atitude positiva relativamente à colaboração.

    Mais:

    Embaixador: Rússia propôs cooperação de cibersegurança aos EUA, mas não obteve resposta
    A União Europeia precisa da OTAN e dos EUA para se defender? E contra quem?
    EUA fornecem veículos blindados à Coalizão Árabe Síria para combater Daesh
    Deputada russa: Congresso dos EUA 'está obcecado por ideias de destruição e guerra'
    Tags:
    política externa, senadores, conversa telefônica, coalizão internacional, relações bilaterais, combate ao terrorismo, cooperação, Kremlin, Casa Branca, Daesh, Vladimir Putin, Donald Trump, Síria, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar