10:19 22 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    A general view shows the reactor building at the Bushehr nuclear power plant in southern Iran, 1200 kms south of Tehran, on August 20, 2010

    EUA e Arábia Saudita defendem 'aplicação estrita' do acordo nuclear com Irã

    © AFP 2017/ ATTA KENARE
    Américas
    URL curta
    9107042

    O rei Salman da Arábia Saudita e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump concordaram em aplicar "estritamente" o acordo nuclear iraniano. Os dois líderes conversaram por telefone, segundo comunicado da Casa Branca.

    "(Salmán e Trump) concordaram com a importância de uma aplicação rigorosa do Plano de Ação Conjunto Integrado", informa a declaração, indicando também que os líderes enfatizaram a necessidade de enfrentar "atividades regionais desestabilizadores no Irã".

    Donald Trump critica fortemente o acordo com o Irã desde a campanha presidencial, qualificando-o como um "desastre".

    O Plano de Ação Conjunto Integrado, alcançado por Teerã e pelo Grupo 5 + 1 (China, EUA, França, Reino Unido e Rússia mais Alemanha) em Julho de 2015, coloca limitações ao programa nuclear iraniano para excluir a sua possível dimensão militar. Em troca, os respectivos países concordaram em eliminar sanções internacionais

    O acordo sobre o programa nuclear iraniano foi concluído em 14 de julho de 2015 em Viena. Em 20 de julho do mesmo ano, o Conselho de Segurança da ONU aprovou a resolução 2231 em apoio ao Plano.

    Mais:

    Benjamin Netanyahu e Trump vão discutir assentamentos israelenses e acordo com Irã
    Tags:
    Plano de Ação Conjunto Integrado, Conselho de Segurança da ONU, Rei Salman, Donald Trump, Irã, Arábia Saudita, Alemanha, Rússia, Reino Unido, França, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik