12:46 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Reator atômico na usina nuclear de Bushehr, no sul do Irã (foto de arquivo)

    EUA e Arábia Saudita defendem 'aplicação estrita' do acordo nuclear com Irã

    © AFP 2019 / ATTA KENARE
    Américas
    URL curta
    942
    Nos siga no

    O rei Salman da Arábia Saudita e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump concordaram em aplicar "estritamente" o acordo nuclear iraniano. Os dois líderes conversaram por telefone, segundo comunicado da Casa Branca.

    "(Salmán e Trump) concordaram com a importância de uma aplicação rigorosa do Plano de Ação Conjunto Integrado", informa a declaração, indicando também que os líderes enfatizaram a necessidade de enfrentar "atividades regionais desestabilizadores no Irã".

    Donald Trump critica fortemente o acordo com o Irã desde a campanha presidencial, qualificando-o como um "desastre".

    O Plano de Ação Conjunto Integrado, alcançado por Teerã e pelo Grupo 5 + 1 (China, EUA, França, Reino Unido e Rússia mais Alemanha) em Julho de 2015, coloca limitações ao programa nuclear iraniano para excluir a sua possível dimensão militar. Em troca, os respectivos países concordaram em eliminar sanções internacionais

    O acordo sobre o programa nuclear iraniano foi concluído em 14 de julho de 2015 em Viena. Em 20 de julho do mesmo ano, o Conselho de Segurança da ONU aprovou a resolução 2231 em apoio ao Plano.

    Mais:

    Benjamin Netanyahu e Trump vão discutir assentamentos israelenses e acordo com Irã
    Tags:
    Conselho de Segurança da ONU, Rei Salman, Donald Trump, Irã, Arábia Saudita, Alemanha, Rússia, Reino Unido, França, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar