06:00 23 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    454722
    Nos siga no

    Doze deputados do Partido Democrata dos EUA enviaram uma carta aberta criticando a "perseguição" sofrida pelo ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva por parte do juiz da operação Lava Jato Sérgio Moro.

    A carta é dirigida ao embaixador brasileiro em Washington, Sergio Amaral, e insta as autoridades brasileiras a proteger os direitos dos manifestantes, dos líderes de movimentos sociais e dos líderes da oposição como Lula.

    "Estamos particularmente preocupados com a perseguição do ex-presidente Lula da Silva, que viola as regras dos tratados internacionais que garantem o direito à defesa para todos os indivíduos", dizem os deputados.

    Os parlamentares democratas citam explicitamente o juiz Moro, criticando suas ações "parciais e arbitrárias", e colocam como exemplo a condução coercitiva de Lula em março 2016 para forçá-lo a depor. 

    "Só serviu como intimidação, já que não havia nenhuma evidência de que o presidente não queria declarar-se à justiça", lamenta a carta. "Nos últimos meses [Lula] tem sido objeto de uma campanha de difamação e acusações não comprovadas de corrupção por parte de grandes meios de comunicação privados alinhados com as elites do país", alertam os parlamentares. 

    Na carta eles se relacionam esta campanha com o fato de Lula continuar sendo uma das figuras políticas mais populares do Brasil e de ser visto como uma "ameaça séria nas urnas" por seus rivais políticos.

    Os deputados também aproveitam a oportunidade para criticar o presidente Michel Temer, por "proteger figuras políticas corruptas" e impor políticas que nunca foram legitimadas em eleições.

    A carta, encabeçada pela assinatura do representante democrata John Conyers, também tem o apoio de associações e sindicatos norte-americanos, como o AFL-CIO, um dos mais importantes do país, com mais de 12 milhões de membros. 

    Lula responde a vários processo no âmbito da operação Lava Jato, mas no momento não há nenhuma condenação definitiva e o presidente já manifestou sua vontade de se apresentar como candidato do PT para as eleições de 2018.

    Mais:

    PT diz que prisão de líder do MTST é ato de repressão política da PM-SP
    Deputados do PCdoB e do PT explicam pedido de impeachment contra Temer
    Com Lula, PT faz avaliação de seu comportamento
    Tags:
    juiz, democracia, perseguição, carta aberta, Partido Democrata, Sérgio Moro, Lula, EUA, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar