11:19 13 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Presidente russo Vladimir Putin durante a coletiva de imprensa conjunta com o presidente da Moldávia, Igor Dodon, Kremlin, Moscou, Rússia, 17 de janeiro de 2017

    Putin denuncia tentativas de deslegitimar Trump

    © Sputnik/ Sergei Guneev
    Américas
    URL curta
    77640

    Algumas forças nos EUA almejam minar legitimidade da vitória de Donald Trump, afirmou o presidente russo, Vladimir Putin.

    "Nesta luta [contra Trump], em minha opinião, há alguns objetivos, pode ser que haja mais, mas alguns são evidentes. O primeiro é minar a legitimidade do presidente eleito dos EUA. Além disso, gostaria de frisar que as pessoas que fazem isso, querendo ou não, estão prejudicando gravemente os interesses dos EUA", disse Putin.

    "Pelo visto, após os treinamentos em Kiev, eles estão prontos para organizar 'Maidan' no seu território de Washington para que Trump não tome posse", sublinhou o líder russo.

    "O segundo objetivo seria amarrar as mãos e os pés do presidente eleito durante realização de promessas, feitas em sua campanha eleitoral ao povo norte-americano, ligadas a ações dentro do país e no palco internacional", acrescentou Putin.

    O presidente russo disse que, por não conhecer pessoalmente o presidente eleito Donald Trump, não tem razões para criticá-lo ou protegê-lo.

    "Não conheço Trump, nunca o encontrei e não sei o que ele fará no palco internacional, por isso não tenho nenhuma razão para atacá-lo, criticá-lo ou protegê-lo", disse Putin em uma coletiva de imprensa na terça-feira (17).

    Ao comentar o documento anônimo publicado no portal BuzzFeed sobre a prática realizada pelo Kremlin de recolhimento de informações comprometedoras sobre Trump, Putin afirmou que os serviços secretos da Rússia não tratam disso, até porque, antes, Trump era somente um homem de negócios dos EUA.

    Entre outras coisas, o documento diz que, durante a sua visita a Moscou há alguns anos, Trump convidou prostitutas russas para o seu quarto de hotel.

    Entretanto, Putin disse ser impossível imaginar que Trump tenha convidado prostitutas.

    "Trump chegou e imediatamente foi se encontrar com prostitutas moscovitas. <…> Sabem, é difícil imaginar isso, [imaginar] que ele foi direto para o hotel a fim de se encontrar com garotas de programa", disse Putin.

    Na opinião de Putin, as pessoas que inventam histórias e falsificam informações são piores que prostitutas.

    "Gostaria de dizer que a prostituição é um fenômeno social sério e muito feio. Mulheres jovens fazem isso, entre outras coisas, porque não podem assegurar a vida digna de outra maneira. É, em grande parte, culpa da sociedade e do país. As pessoas que encomendam tais mentiras, que estão sendo divulgadas contra o presidente eleito dos EUA, inventam-nas e as usam na luta política — são piores que prostitutas. Não possuem quaisquer limites morais", disse o presidente russo.

    Putin sublinhou que a Rússia encara tais pessoas todo o tempo. Segundo ele, a utilização de métodos contra o presidente eleito é responsável pela degradação das elites políticas no Ocidente, inclusive nos EUA.

    Tags:
    falsificação, prostituta, escândalo, Kremlin, Donald Trump, Vladimir Putin, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik