23:01 19 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    0 21
    Nos siga no

    O chefe da corporação petrolífera ExxonMobil, Rex Tillerson, é um profissional altamente qualificado que, caso seja confirmado sua nomeação para o cargo do secretário de Estado, receberá como legado um ministério politizado e uma série de crises no Oriente Médio, disse à Sputnik o ex-embaixador norte-americano na Arábia Saudita, Chas Freeman.

    Ontem (13), o presidente eleito dos EUA, Donald Trump, que tomará posse em 20 de janeiro, anunciou que está disposto a nomear Tillerson como o próximo secretário de Estado. A candidatura de Tillerson deve ser aprovada pelo Senado, no qual o Partido republicano despõe de uma maioria insignificante.

    "Tillerson vai receber a herança do serviço diplomático e do Departamento de Estado que têm perdido muito no sentido de profissionalismo, tem se politizado e desmoralizado", afirmou Freeman.

    O diplomata adiantou que Tillerson assumirá funções no âmbito de uma nova onda de incertezas nas relações com o Irã, no conflito árabe-israelense, bem como no que se trata do reforço da Rússia nos assuntos relacionados ao Oriente Médio.

    "O secretário de Estado deve ter visão estratégica e criatividade tática, possuir capacidade de ouvir e interagir de modo eficiente com as pessoas de pontos de vista e experiência diferentes, bem como saber traduzir tarefas complicadas para uma linguagem compreensível", frisou.

    O ex-embaixador ressaltou que Tillerson é um especialista extremamente focado e competente na "arte de arranjos internacionais".

    O atual secretário de Estado, John Kerry, ou seja, antecessor de Tillerson, delegou pouco e compareceu raramente em Washington, onde é cozinhada a política norte-americana, acrescentou Freeman.

    Apesar das competências gerenciais de Tillerson serem bem recebidas, muita coisa depende do caráter das suas relações pessoais com Trump, que ainda não sinalizou como as decisões da política externa serão tomadas e qual papel o secretário de Estado terá nelas.

    Rex Tillerson trabalha na maior empresa do petróleo norte-americana, ExxonMobil, durante 4 décadas, começando como um simples engenheiro. Na década de 90, ele chefiou os projetos da internacional realizados na Rússia.

    Mais:

    'Rússia nunca venderá sua política externa independente'
    Casa Branca comenta nomeação de Tillerson para secretário de Estado dos EUA
    Moscou diz o que pensa sobre o próximo secretário de Estado dos EUA
    Quatro aspectos da atitude do novo secretário de Estado dos EUA perante a Rússia
    Tags:
    relações internacionais, diplomacia, Departamento de Estado dos EUA, ExxonMobil, Rex Tillerson, Donald Trump, John Kerry, Oriente Médio, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar