23:21 17 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Barack Obama e Raúl Castro em cartaz que dá boas vindas ao presidente dos EUA a Cuba

    Casa Branca: reverter a aproximação com Cuba pode ser prejudicial aos EUA

    © REUTERS/ Alexandre Meneghini
    Américas
    URL curta
    212

    A revisão das relações com Cuba poder ser “muito destrutivo” para Washington, declarou nesta terça-feira o conselheiro de Segurança Nacional americano, Ben Rhodes.

    “Estamos observando um progresso real no nível de vida dos cubanos”, disse o alto funcionário aos jornalistas. Segundo ele, “a manutenção da política (de reaproximação) criará novas oportunidades para as empresas americanas”.  

    Rhodes também destacou que, durante o processo de transmissão do cargo, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pretende chamar a atenção do presidente eleito, Donald Trump, para a importância dessa política. 

    Durante a sua campanha eleitoral, Trump anunciou diversas vezes a intenção de rever a política de Obama para Cuba.

    Em dezembro de 2014, o presidente dos EUA, Barack Obama, e o líder de Cuba, Raúl Castro, promulgaram a retomada histórica das relações entre Washington e Havana.

    Mais:

    Acordo histórico reforça cooperação militar entre Rússia e Cuba
    Lula e Dilma vão a Cuba homenagear Fidel Castro
    EUA: mais de cem migrantes retornaram a Cuba nos últimos dias
    Casa Branca: 'Morte de Fidel não altera reaproximação com Cuba'
    Tags:
    relações bilaterais, Casa Branca, Ben Rhodes, Donald Trump, Raúl Castro, Barack Obama, EUA, Cuba
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik