16:13 12 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    20332
    Nos siga no

    Carter Page, conselheiro da sede eleitoral do presidente recém-eleito Donald Trump, chamou "desastroso" o nível de desinformação nas decisões dos representantes internacionais sobre a Ucrânia e a Crimeia.

    Page qualificou a cronologia dos eventos dos últimos anos na Ucrânia e na Crimeia como um dos exemplos mais claros de "notícias falsas".

    "Tenho a certeza que surgirão novas possibilidades de ultrapassar essas noções equivocadas e esse vetor incorreto adotado em relação à Ucrânia", informou o conselheiro à agência RIA Novosti.

    Carter Page, conselheiro do novo presidente dos EUA, Donald Trump, durante discurso na Nova Escola de Economia de Moscou, Rússia
    © AP Photo / Pavel Golovkin
    Carter Page, conselheiro do novo presidente dos EUA, Donald Trump, durante discurso na Nova Escola de Economia de Moscou, Rússia

    Page contou sobre os objetivos da sua viagem à Rússia. Na opinião dele, em breve, as oportunidades de contatos com o setor privado serão as mais propícias. O conselheiro ressaltou que atualmente está trabalhando com uma série de projetos do setor.

    Ao mesmo tempo, Page comentou a privatização da petrolífera russa Rosneft:

    "A transação indica que as sanções do Ocidente prejudicaram mais a atividade empresarial ocidental do que a empresa russa", assinalou.

    Segundo Page, "as empresas norte-americanas, bem como as europeias, demonstram elevado interesse em voltar ao mercado russo".

    Carter Page veio a Moscou na quinta-feira (8) para realizar uma série de reuniões com empresários e políticos. O conselheiro acrescentou que estará em Moscou até 13 de dezembro.

    Durante sua visita a Moscou, Carter Page discursará, na segunda-feira (12), no Centro Multimídia da Agência Internacional de Notícias Rossiya Segodnya. O tema da respectiva apresentação é o seguinte: "Afastando-se da hipocrisia – estratégias potenciais na época da estagnação econômica, ameaças à segurança e notícias falsas".

    Ainda durante sua campanha eleitoral, Trump chegou a considerar a questão do reconhecimento da Crimeia como parte da Rússia. Por sua vez, Kremlin manifestou esperança de que o futuro 45º presidente dos EUA cumpra as suas promessas.

    Mais:

    Inauguração da ponte do Estreito de Kerch da Crimeia estimulará PIB da região
    Auditores da UE: Ucrânia é o país mais corrupto da Europa
    Tags:
    conselheiro, reunificação, setor privado, empresários, Kremlin, RIA Novosti, Carter Page, Donald Trump, Crimeia, Moscou, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar