19:10 18 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Vista do Pentágono a partir de um avião

    'Abafar' os S-300? The National Interest explica estratégia de guerra eletrônica dos EUA

    © flickr.com / brownpau/CC BY 2.0
    Américas
    URL curta
    61821

    O Pentágono está preparando a publicação de uma nova estratégia de guerra eletrônica.

    O documento, elaborado para as empresas fornecedoras do Pentágono e funcionários militares, contém recomendações quanto ao volume de investimentos em meios de guerra eletrônica e define os princípios de equipamento das respectivas unidades, escreve o jornal The National Interest.

    Segundo o seu porta-voz, major Roger Cabiness, para o Pentágono é importante equipar o Exército com meios ofensivos avançados de guerra eletrônica e aumentar a proteção da chamada cadeia de destruição (kill-chain), um termo usado por especialistas em cibersegurança da empresa Lockheed Martin.

    Esses especialistas descreveram a sequência mais difundida de arrombamento de sistemas de informação. A kill-chain também pode ser considerada como uma tática de ataque para prevenir um ataque do inimigo ou para organizar sua própria ofensiva.

    Segundo o colunista e analista do portal Scout Warrior Chris Osbourne, pode se tratar, por exemplo, da proteção de um drone americano contra arrombamento por parte dos meios da guerra eletrônica do inimigo.

    O Pentágono acha que o desenvolvimento e entrada em serviço de meios de arrombamento e intercepção são mais baratos do que o lançamento de um míssil-interceptor. Os militares americanos preveem que essa tática permita reduzir as despesas dos EUA com novas armas.

    De acordo com o documento do Pentágono, a principal ferramenta da Marinha americana são os sistemas de supressão de sinais radioeletrônicos de nova geração (NGJ). Em particular, há planos para equipar o avião EA-18G Glowler da Marinha dos EUA com dois transmissores que "abafem" as frequências do inimigo.

    Assim, o Pentágono prevê que os sistemas de nova geração permitam que os aviões americanos escapem aos sistemas da defesa antimíssil russos. Entretanto, os especialistas americanos avaliam os sistemas russos S-300 e S-400 como uns dos melhores do mundo, escreve The National Interest.

    Mais:

    Pentágono diz apoiar dezenas de milhares de forças da oposição síria
    Pentágono pagará $3 bilhões para obter submarinos não tripulados
    Tags:
    cadeia, tática, intercepção, cibersegurança, radioeletrônica, S-400, S-300, The National Interest, Lockheed Martin, Pentágono, Marinha dos EUA, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik