12:18 26 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    A Secretária da Força Aérea, Deborah Lee James, fala sobre cortes no orçamento, agressões sexuais e outras questões enfrentadas pela Força Aérea dos EUA

    Secretária da Força Aérea dos EUA explicou o alto preço do avião presidencial

    © AP Photo / Manuel Balce Ceneta
    Américas
    URL curta
    4310

    A secretária da Força Aérea dos Estados Unidos, Deborah Lee James, disse que o alto preço de um novo avião presidencial é devido às exigências com a segurança do Chefe de Estado, escreve Politico.

    Anteriormente, o presidente eleito Donald Trump disse que o fornecimento do novo avião vai custar quatro bilhões de dólares (cerca de 14 bilhões de reais brasileiros) e ameaçou cancelar o negócio por causa dos custos excessivamente elevados. A empresa Boeing explicou que eles ainda estão avaliando as capacidades e especificações das novas aeronaves de acordo com o contrato de 170 milhões de dólares com o Ministério da Defesa.

    Segundo a publicação, o avião do presidente deve estar protegido contra ataques de mísseis, bem como assegurar a ligação do Chefe de Estado com as forças estratégicas. Estas características não só devem defender o presidente, como também permitir-lhe governar o país em caso de emergência.

    "O avião do presidente dos EUA, embora tenha sido criado na base do 747 [avião comercial Boeing 747], mas isso é muito mais do que as noções de um avião comercial. De fato, em muitos aspectos, isto é uma Casa Branca voadora, se estivermos falando sobre medidas de segurança. Nele se utilizam contramedidas de bloqueio de sinais rádioeletrônicos, as comunicações são efetuadas de acordo com o protocolo de alto nível, há segurança em tudo. Além disso, ela [aeronave] transporta o presidente dos EUA", disse James na entrevista à publicação.

    Segundo a secretária, o avião "tem que suportar condições difíceis, muito mais difíceis do que um avião civil comum".

    Ela também observou que a Casa Branca tem especialistas em segurança que elaboram as exigências para a aeronave presidencial.

    "Estas exigências depois são transmitidas à Força Aérea, e nosso trabalho é construir uma estratégia de aquisição para atender a essas exigências. Em outras palavras, nós não inventamos todos esses fatores de segurança e padrões de comunicação", explicou James.

    Segundo ela, o preço do avião pode ser reduzido apenas no caso de as exigências para a aeronave serem modificadas.

    Agora, o presidente dos EUA usa dois aviões Boeing 747-200B, que foram produzidos cerca de 30 anos atrás. Os novos aparelhos serão colocados em serviço em 2023-2024, e então Trump poderá usá-los apenas em caso de reeleição para um segundo mandato.

    Em janeiro deste ano, a Boeing recebeu um contrato para desenvolver uma nova geração de aeronaves para o presidente dos EUA na base do avião comercial de Boeing 747-8. Inicialmente se previa que o preço do negócio seria de cerca de três bilhões de dólares.

    Mais:

    Obama: erros dos EUA no Iraque fizeram surgir Daesh, mas ele não ameaça americanos
    Trump promete acabar com a política intervencionista dos EUA
    Kerry: Trump não poderá mudar compromissos entre EUA e OTAN
    Rússia, EUA e as dificuldades para chegarem a um acordo sobre Síria
    Diretor da NASA: Rússia ajudará os EUA a desbravar caminho à Lua e Marte
    Tags:
    contrato, preço, presidente, aeronave, avião, Ministério da Defesa, Força Aérea dos EUA, Boeing, Deborah Lee James, Donald Trump, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik