01:27 19 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Donald Trump é o novo presidente dos Estados Unidos

    Delegado do Texas se recusa a votar em Trump

    Michael Vadon/Foto Públicas
    Américas
    URL curta
    4110

    Delegado do estado do Texas, Chris Suprun, recusou-se a votar em Donald Trump durante a confirmação formal do vencedor das eleições presidenciais, informa Fox News.

    Suprun, que trabalha no serviço de atendimento móvel de emergência, antes apoiava Trump, mas mudou de opinião, diz o Fox News.

    "Estou aqui para eleger um presidente, não um rei", criticou.

    Segundo Suprun, ele recebeu centenas de e-mails e chamadas telefônicas que possuíam a mesma finalidade: pedido para que ele votasse a favor de Trump.

    "Eles me disseram que se nós elegêssemos Donald Trump, ele mudaria o seu caráter para um parecido a de um presidente. Mas ele não está fazendo isso", acrescentou Suprun.

    A recusa pública de votar a favor de Trump dá ao delegado a possibilidade de se afastar da votação, pois a seção local do Partido Republicano tem tempo para substituí-lo.

    Durante a votação de 8 de novembro, os cidadãos dos EUA formaram o Colégio Eleitoral bipartidário, composto por 538 pessoas, que deve eleger formalmente o presidente do país em 19 de dezembro, enviando cartas para o Congresso.

    O candidato que vence no estado leva todos os votos dos delegados do respectivo estado. A vitória de Trump nos estados mais populosos, ou seja, que possuem mais delegados, colaborou no resultado final do mesmo — 306 votos, sendo necessários apenas 270 para vitória. Hillary Clinton ganhou 232 votos dos delegados.

    O Texas, considerado um estado "republicano", possui 38 delegados no Colégio Eleitoral. Trump venceu neste estado, recebendo 52,2% dos votos dos delegados.

    Já aconteceu, em eleições anteriores, de alguns delegados votarem não seguindo a regra do Colégio Eleitoral, a qual especifica que todos os votos do estado são dados ao vencedor no respectivo estado. Mesmo assim, tal atitude nunca interferiu nos resultados finais. A Constituição não proíbe a violação da vontade dos eleitores pelos delegados, mas em alguns estados é dada a autoria pela votação "irregular" aos que não cumprem as regras.

    Outro membro republicano do Colégio Eleitoral do Texas, Christopher Suprun, assegurou hoje que não vai votar pelo Presidente eleito dos EUA, Donald Trump.

    Na semana passada, outro membro do Colégio Eleitoral do Texas, Art Sisneros, renunciou ao cargo de eleitor para evitar votar em Donald Trump.

    Mais:

    Pentágono diz que, com Trump, mudará estratégia de combate ao Daesh
    Degelo no horizonte? Trump tenciona 'dar alguns passos ao encontro da Rússia'
    Trump confirma James Mattis como secretário de defesa
    Senador democrata pode ser novo secretário de energia de Trump
    Trump retalia Clinton pela recontagem de votos e diz que 3 estados fraudaram eleições
    Tags:
    eleitores, rei, votos, constituição, cidadãos, presidente, votação, eleições nos EUA, Colégio Eleitoral dos EUA, Partido Republicano, Donald Trump, Hillary Clinton, Texas, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik