04:29 19 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Ajuda humanitária danificada por ataque ao comboio da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho em Aleppo, Síria

    Departamento de Estado dos EUA nega que mandou coordenadas de hospital russo na Síria

    © REUTERS / Ammar Abdullah
    Américas
    URL curta
    21232

    O Departamento de Estado dos EUA negou estar envolvido com o fornecimento de coordenadas do hospital russo à oposição síria, de acordo com um porta-voz.

    O Departamento de Estado alega que não foram capazes de verificar os relatos de um ataque mortal a um hospital militar russo na cidade de Aleppo, no norte da Síria, disse o porta-voz do Departamento de Estado, Mark Toner, a repórteres nesta segunda-feira.

    "Eu vi os relatórios, não conseguimos confirmar, é difícil de fazer, obviamente, dadas as lutas e dada a falta de acesso ao que aconteceu em campo", disse Toner em um briefing.

    Ele acrescentou, no entanto, que Washington condenaria "qualquer ataque ao hospital ou centro de saúde" se os relatórios se revelarem verdadeiros.

    Houve 2 mortes até agora, além de outra pessoa gravemente ferida.

    A Rússia exortou a comunidade internacional a condenar os ataques e mortes resultantes de médicos russos em Aleppo.

    "Todos os perpetradores e todos aqueles que ordenaram o bombardeio do hospital do Ministério da Defesa da Rússia em Aleppo devem ser responsabilizados por suas ações", disse o porta-voz russo, general Igor Konashenkov.

    Mais:

    Duas médicas são mortas, 1 pessoa é ferida após ataque a hospital russo em Aleppo
    Bombardeios destroem o último hospital de Aleppo, alerta OMS
    Tags:
    Igor Konashenkov, Departamento de Estado dos EUA, Ministério da Defesa (Rússia), Mark Toner, Aleppo, Estados Unidos, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar