17:19 23 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Destroços do avião  da LaMia, que caiu com a equipe Chapecoense e jornalistas

    Funcionária da AASANA é denunciada por não reportar mudanças em voo da Chapecoense

    Raul Arboleda/AFP
    Américas
    URL curta
    Queda do avião com Chapecoense (73)
    1035

    Promotoria da Bolívia diz que mulher não fez nenhuma observação a seus superiores sobre o plano de voo do avião que caiu em Medellín, na Colômbia.

    A Promotoria da Bolívia denunciou uma funcionária da Administração de Aeroportos e Serviços Auxiliares à Navegação Aérea (AASANA) por não reportar a tempo as observações do plano de voo da LaMia que caiu perto de Medellín e deixou 71 mortos.

    De acordo com a denúncia, a funcionária só reportou o relatório um dia depois do acidente. Ela escrevia que a autonomia de voo do avião era igual ao trajeto e só estava indicado um aeroporto alternativo de aterrissagem e não dois, como exige a legislação. 

    A denúncia foi tramitada durante a tarde de sexta-feira (2) e o Ministério Público ainda precisa analisá-la. O governo da Bolívia já anunciou anteriormente que promoverá uma investigação rigorosa na AASANA e na Direção Geral de Aeronáutica Civil (CGAC), que faz a supervisão técnica das aeronaves.

    Tema:
    Queda do avião com Chapecoense (73)

    Mais:

    Autoridades colombianas investigam por que avião da Chapecoense estava sem combustível
    Comissária sobrevivente de acidente da Chapecoense homenageia colegas mortos
    Tags:
    CGAC, Direção Geral de Aeronáutica Civil, AASANA, Administração de Aeroportos e Serviços Auxiliares à Navegação Aérea, Promotoria da Bolívia, LaMia, Medellín, Colômbia, Bolívia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar