12:19 08 Dezembro 2016
Ouvir Rádio
    Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, no palácio presidencial de Miraflores, em Caracas

    Deputado: exclusão da Venezuela do Mercosul criaria precedente muito perigoso

    © AFP 2016/ Juan Barreto
    Américas
    URL curta
    1060931

    Parlamentar venezuelano assinala que a Venezuela não é único país no bloco sul-americano que não cumpre as regras prescritas.

    Em 1° de dezembro, foi encerrado o prazo concedido à Venezuela para ela que cumprisse com a adequação de sua legislação ao protocolo de adesão ao Mercosul. A Sputnik Mundo falou sobre o assunto com o deputado venezuelano, Yul Jabour, durante as sessões do Parlamento do Mercosul (Parlasur) em Montevidéu, Uruguai.

    "Viemos manifestar o respeito à institucionalidade do Mercosul e denunciar as ameaças relacionadas à suspensão da Venezuela", disse à Sputnik Mundo Yul Jabour, deputado venezuelano do Bloco da Pátria, composto por parlamentares que apoiam o governo de Nicolás Maduro, e membro do Parlamento do Mercosul. Avançando neste caminho, disse o deputado, "estariam violando" os acordos e documentos da fundação do Mercosul, pondo em perigo a estabilidade institucional do bloco".

    A Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai decidiram que, se, até 1° de dezembro, a Venezuela não cumprisse as normas do Mercosul, seria suspensa do bloco. O argumento dos sócios fundadores se apoiou na inobservância do Acordo de Complementação Econômica N° 18, que estabelece parâmetros para a livre troca de mercadorias entre os países aderentes e é considerado um dos pilares do bloco regional. A dois dias do ultimato, Venezuela garantiu cumprir a norma.

    Excluir a Venezuela do bloco por "não se adequar" à normativa do Mercosul seria "perigoso", diz Jabour. O parlamentar alegou ter feito uma "revisão" da integração dos países integrantes do bloco e destacou que nenhuma das nações fundadoras não cumpre todas as normas exigidas pelo Mercosul. Ele acredita na existência de uma "ofensiva internacional" que busca mudar o significado dos blocos regionais e o "papel fundamental" em matéria social dos mesmos. Segundo ele, tal tendência está relacionada ao "caráter" dos Governos que hoje integram o bloco do Mercosul, reforçando que há uma "campanha" contra a Venezuela.

    "Desde a sua entrada em 2012, a Venezuela tem feito ajustes importante, em conformidade com a legislação. Sendo assim, estão sendo violados vários elementos", destaca o parlamentar venezuelano.

    Jabour frisou que em setembro foi estabelecido um prazo de três meses pelos integrantes do bloco para que a Venezuela se adeque às normas, mas em nenhum lugar foi estabelecido o erro.

    O legislador venezuelano disse que estão sendo desenvolvidas iniciativas e políticas que estão "muito longe" de consolidar o bloco regional, responsável pelo "papel fundamental", não apenas na integração econômica, mas também na política social, onde "a Venezuela tem sido um dos protagonistas", sublinhou.

    "Será criado um precedente perigoso caso a Venezuela seja excluída da integração de nossos povos", concluiu Jabour.

    Anteriormente, agências de noticias internacionais informaram que a Venezuela foi suspensa do Mercosul por não cumprir obrigações do bloco e tal informação deve oficializada pelo Mercosul hoje, 2 de dezembro.

    Mais:

    Maduro pedirá que Obama derrube decreto contra Venezuela antes de deixar o poder
    Maduro garante que ninguém tira Venezuela do Mercosul
    Oposição venezuelana dá ultimato a Maduro
    Tags:
    regras, exclusão, violação, Mercosul, Nicolás Maduro, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik

    Em foco