15:12 23 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Patriarca de Moscou e de Todas as Rússias Kirill junto ao líder da Revolução Cubana Fidel Castro

    Intérprete do Patriarca Kirill sobre Fidel Castro: 'Estive junto a uma lenda viva'

    Américas
    URL curta
    610
    Nos siga no

    Miguel Palacio, intérprete pessoal do Patriarca de Moscou e de Todas as Rússias Kirill e chefe da direção de relações públicas e protocolo de uma instituição religiosa dedicada aos santos Cirilo e Metódio, contou suas recordações inesquecíveis de Fidel Castro, o Comandante e líder lendário do povo cubano que faleceu em 26 de novembro aos 90 anos.

    Em entrevista exclusiva à Sputnik, Palacio contou que esteve presente na última reunião pessoal do Patriarca com Fidel Castro em 14 de fevereiro de 2016. Essa reunião decorreu quase logo após o encontro entre o Patriarca Kirill e o Papa Francisco no aeroporto de Havana.

    Miguel Palacio compartilhou suas impressões da reunião. O intérprete contou que "Fidel recebeu o Patriarca de maneira muito cordial". Deliv Soto de Villa, esposa de Fidel, saudou o Reverendíssimo Patriarca no portão da residência e o acompanhou até à sala da reunião. Apesar dos problemas de saúde, Fidel, que já estava na sala naquele momento, se levantou e cumprimentou gentilmente o Patriarca Kirill.

    Segundo Palacio, nessa reunião, além dos próprios Fidel Castro e Patriarca Kirill, também estavam presentes a esposa de Fidel, seu filho Alejandro, o intérprete de Fidel e jornalistas cubanos.

    Palacio revelou que Castro "atribui uma grande importância ao fator religioso nos processos internacionais" e "estudou em colégios católicos na infância".

    O intérprete do Patriarca lembrou que durante a reunião, logo após os cumprimentos Fidel, com uma pilha de livros e materiais impressos sobre sua mesa de trabalho, contou sobre as pesquisas que estava realizando naquele momento dedicadas ao papel de certas plantas latino-americanas na medicina e economia.

    Miguel Palacio contou que "Fidel expressou sua alegria pela primeira conversa pessoal entre os chefes das duas maiores igrejas cristãs no mundo". O fato de que esse evento histórico teve lugar em Cuba foi muito agradável para Castro.

    Além disso, Miguel Palacio contou que a reunião foi um momento emocionante, pois ele estava junto a uma lenda viva.

    "Quando o Patriarca Kirill entregou presentes para Fidel – uma medalha por ocasião da sua entronização, um anuário com textos e fotos sobre o serviço religioso do Patriarca, Fidel começou examinando tudo com atenção e fazendo perguntas", conta Palacio.

    Na opinião do intérprete, Fidel conservou suas qualidades distintivas – a emotividade e a impetuosidade. Apesar dos problemas de saúde, o Comandante se movimentava e gesticulava de maneira ativa.

    "Recordo sobretudo os olhos dele – inteligentes, vivos, penetrantes. Esses não eram olhos de um velho. Ele queria viver, trabalhar, se interessava por tudo", descreve Miguel Palacio.

    Palacio contou que durante a reunião com o então Metropolita de Smolensk e Kaliningrado Kirill, em 2004, Fidel propôs construir uma igreja ortodoxa em Havana como monumento à amizade russo-cubana e manifestou sua disponibilidade para ser o "comissário da construção". O Comandante propôs ao Patriarca que escolhesse o local onde a igreja poderia ser erguida. Finalmente, a construção foi iniciada numa área da Havana Velha, perto dos monumentos históricos e culturais da capital cubana.

    Posteriormente Fidel e o Metropolita Kirill colocaram suas assinaturas nos dois diplomas sobre o lançamento da construção da igreja – em russo e em espanhol. A Catedral Ortodoxa de Nossa Senhora de Kazan foi santificada pelo Metropolita Kirill em outubro de 2008.

    Mais:

    Raul Castro se dirige ao povo cubano (VÍDEO)
    Ex-presidente cubano Fidel Castro morre aos 90
    Tags:
    medalha, plantas, presente, residência, reunião, Igreja Católica, Igreja Ortodoxa, Papa Francisco, Patriarca Kirill, Fidel Castro, Havana, América Latina, Cuba, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar