11:32 23 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    O centro da cidade de Buenos Aires

    Buenos Aires diz 'não' à Trump Tower

    © flickr.com/ Hernán Piñera
    Américas
    URL curta
    604

    A cidade de Buenos Aires negou autorização para a construção de uma torre de escritórios ligada ao presidente eleito dos EUA, Donald Trump, informou a prefeitura nesta sexta-feira (25).

    O projeto da "Trump Tower" perto do obelisco central de Buenos Aires fez manchetes esta semana depois que o noticiário locais relatou que Trump mencionara o complexo de escritórios proposto quando o presidente argentino Mauricio Macri lhe telefonou para parabenizá-lo depois da vitória eleitoral de 8 de novembro.

    A administração Macri disse que os relatos da mídia eram falsos e que o projeto não foi mencionado durante a chamada.

    O governo da cidade emitiu sua declaração "em resposta ao interesse público sobre a possível construção da chamada 'Trump Tower' no centro de Buenos Aires". Um porta-voz disse que o nome de Trump não apareceu nos pedidos de permissão.

    A declaração disse ainda que o projeto surgiu no início de 2007, quando uma empresa identificada como Kubic S.A. arquivou um pedido de construção de um prédio em um terreno da cidade. O plano foi aprovado, mas expirou quando a construção não começou dentro do período estipulado de três anos.

    Em agosto passado, acrescentou a nota, uma empresa chamada Repetto Oeste SA procurou reviver o plano de 2007, mas o pedido foi arquivado.

    "Por esta razão", disse o comunicado, "não há nenhuma licença de construção ativa para a propriedade em questão, e as partes interessadas têm de iniciar o processo desde o início".

    Mais:

    Justiça argentina pede investigação contra o presidente Mauricio Macri
    'Marcha Federal' contra governo de Macri toma conta das ruas de Buenos Aires
    Maré de azar: empreendimento de Trump no Rio é alvo de ação na Justiça
    Tags:
    edifício, projeto, torre, Trump Tower, Mauricio Macri, Donald Trump, EUA, Buenos Aires, Argentina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik