16:56 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos recebe o Prêmio Nobel da Paz 2016

    Oposição começa a analisar novo acordo de paz entre as FARC e governo da Colômbia

    © REUTERS/ Jose Gomez
    Américas
    URL curta
    2 0 0

    Texto foi construído com apoio de aliados do ex-presidente Álvaro Uribe, contrário ao texto inicial.

    Depois de derrotar nas urnas o primeiro acordo de paz firmado entre as FARC e o Governo Colombiano, a oposição do país anunciou nesta segunda-feira (14) que começou a analisar o novo texto alcançado ontem. O novo acordo trouxe alterações em aspectos como direitos da propriedade privada, o tribunal especial de Justiça e os locais de confinamento onde os rebeldes devem cumprir penas privativas de liberdade de entre 5 e 8 anos pelos crimes cometidos durante o conflito armado.

    Presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos (esquerda), presidente de Cuba, Raul Castro (centro), e líder das FARC, Rodrigo Londoño Echeverri (direita)
    © REUTERS/ Alexandre Meneghini
    Além disso, inclui esclarecimentos sobre o combate ao narcotráfico, obriga a guerrilha a entregar todos seus bens para indenizar as vítimas e estabelece que a implementação dos acordos será feita sem colocar em risco à estabilidade fiscal do país.

    O texto alcançado foi construído com a ajuda dos "uribistas", apoiadores do ex-presidente Álvaro Uribe e principal força contrária à assinatura do acordo na primeira versão. Um ponto polêmico, porém, não foi alterado: ex-guerrilheiros vão continuar elegíveis a cargos políticos.

    Mais:

    Brasil oferece ajuda a Colômbia em acordo de paz com as Farcs
    Colômbia suspende negociações de paz com ELN
    Santos vai doar prêmio em dinheiro do Nobel para as vítimas do conflito na Colômbia
    Exército de Libertação Nacional da Colômbia liberta refém
    Colômbia: FARC iniciam debate para abandonar luta armada
    Tags:
    FARC, Álvaro Uribe, Juan Manuel Santos, Colômbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik