06:33 23 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Hillary Clinton durante o primeiro debate presidencial na Universidade de Hofstra, EUA, 26 de setembro de 2016

    'Não tenho problemas em pegar o dinheiro e tratar de quaisquer ataques'

    © AFP 2018 / Paul J. Richards / AFP
    Américas
    URL curta
    Eleições nos EUA (112)
    517

    Assessores principais da campanha da presidenciável do Partido Democrata norte-americano, Hillary Clinton, aceitaram alegadamente contribuições de cidadãos norte-americanos que representam países ou indivíduos estrangeiros, segundo consta em e-mails vazados.

    Na segunda-feira (18), a organização WikiLeaks divulgou uma nova série de mais de 3 mil e-mails alegadamente obtidos da conta arrombada de John Podesta, chefe da campanha eleitoral da presidenciável do Partido Democrata, Hillary Clinton.

    Em 2015, o diretor financeiro da campanha de Clinton enviou e-mails aos outros assessores da candidata para tomarem a decisão se deviam permitir ou não aos lobistas de governos estrangeiros recolher dinheiro para campanha. A lei norte-americana proíbe aos candidatos presidenciais aceitar dinheiro de doadores estrangeiros. Entretanto, segundo a mídia local, os candidatos podem receber dinheiro de cidadãos norte-americanos que representem países e indivíduos estrangeiros.

    "Não tenho problemas em pegar o dinheiro e tratar de quaisquer ataques. Concordam?", disse Robby Mook, administrador da campanha de Clinton, em um e-mail vazado.

    Mook declarou que foi convencido por Marc Elias, conselheiro geral da campanha, que propôs que se tratasse do assunto "caso a caso", o que tornaria isso uma coisa "subjetiva".

    "Ao avaliarmos se devemos aceitar o dinheiro, devemos analisar as relações entre esse país e os EUA, suas relações com o Departamento de Estado durante a chefia de Hillary e sua relação, se existir, com a fundação. Ao avaliar um indivíduo, analisaremos a história do seu suporte a candidatos políticos em geral e às anteriores campanhas de Hillary, em particular", escreveu Elias aos outros assessores de Clinton.

    Segundo Karuna Seshasai, cujo papel na campanha alegadamente não é claro, esses agentes estrangeiros incluem o Iraque, Azerbaijão, Egito, Líbia, Emirados Árabes Unidos e Líbia, entre outros.

    Tema:
    Eleições nos EUA (112)

    Mais:

    Americanos inventam de novo 'bicho-papão russo' para assegurar vitória de Clinton
    WikiLeaks: Clinton ameaça 'cercar a China com sistemas antimíssil'
    Clinton elogiava Putin antes do começo da campanha eleitoral
    WikiLeaks: Clinton chama Arábia Saudita e Qatar de 'apoiadores financeiros' do Daesh
    WikiLeaks divulga nova leva de provas sobre complô de Clinton com a mídia dos EUA
    Mosca pousa em Hillary Clinton e fica famosa nas redes sociais
    Tags:
    finanças, dinheiro, campanha eleitoral, WikiLeaks, Hillary Clinton, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik