03:23 15 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    471
    Nos siga no

    O presidente americano, Barack Obama, deve publicamente prometer que não perdoará a ex-secretária de Estado Hillary Clinton e os seus aliados, declarou o bilionário presidenciável Donald Trump.

    Donald Trump participa de torneio de golf no Trump Golf Links em 6 de julho de 2015
    © AP Photo / Greg Allen
    O republicano expressou a sua opinião durante um comício em Novi, no estado de Michigan, na sexta (30).

    A declaração tinha a ver com a história controversa sobre o fato de que Clinton e os seus funcionários tinham destruído cerca de 33 mil e-mails após o Congresso americano iniciar investigação do uso pela atual candidata do Partido Democrático, que na época ocupava o cargo de secretária de Estado dos EUA, de um servidor privado – e pouco protegido – para realizar negócios estatais.

    "Senhor Presidente, será que poderia prometer não perdoar a Hillary Clinton e os seus aliados pelos crimes que cometeram contra o nosso país?", perguntou Trump.

    O bilionário exigiu que Clinton prometesse que, caso chegue a vencer as eleições presidenciais, ela não nomearia aos cargos oficiais nenhum dos cinco indivíduos que foram indiciados pela Quinta Emenda da Constituição dos EUA por destruição dos documentos, ou seja, os e-mails.

    O Serviço Federal de Investigação forneceu imunidade à chefe da equipe de Clinton, Cheryl Mills, ao funcionário Heather Samuelson e ao diretor do Departamento de Gestão de Informações do Estado, John Bentel.

    Ninguém nos Estados Unidos, incluindo Clinton, está acima da lei, disse Trump para uma multidão de 20 mil pessoas e para mais milhares que estavam do lado de fora do estabelecimento.

    Mais:

    Melhores fotos da semana em que Trump abraçou Hillary
    Tags:
    constituição, eleições presidenciais, escândalo, e-mails, Hillary Clinton, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar