10:31 23 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Argentina Camara

    Parlamento argentino mostra preocupação com mudança do quadro político brasileiro

    Juan Mabromata/France Presse
    Américas
    URL curta
    11110

    Após um acalorado debate na noite de quinta-feira, 1º, o Parlamento argentino aprovou uma declaração sobre o momento político brasileiro em que fala de uma “situação de extrema dificuldade em termos de preservação do Estado de direito e da democracia representativa”.

    O documento contrasta com a nota oficial de congratulação enviada pelo presidente Maurício Macri ao presidente Michel Temer, antes de seu embarque para a China, onde participa, neste fim de semana, das reuniões de cúpula do G20. Embora tenha derrotado Cristina Kirchner nas eleições de 2015, Macris ainda não conseguiu maioria no Parlamento.

    Embora com divergência entre os partidos, se o afastamento de Dilma Rousseff se deu ou não por via constitucional, a nota sobre o Brasil e outra sobre o impasse político na Venezuela, foram aprovadas por maioria, com o apoio da coalização governante Cambiemos, da opositora Frente Renovadora e por partidos minoritários.

    A deputada Julia Perié, do partido Frente para a Vitória, e membro do Parlamento do Mersocul (Parlasul), foi uma das parlamentares que lamentou o afastamento de Dilma

    "Estamos muito tristes, porque temos trabalhado durante toda a vida para construir uma grande pátria com os dirigentes que tivemos no Brasil, Uruguai, na Argentina e Venezuela, que foram dignos representantes do povo. A presidente Dilma é uma mulher que sofreu na ditadura e que trabalhou com a dignidade dos grandes líderes. Não mereciam os brasileiros e os mais de 50 milhões de votantes, como não mereciam os países vizinhos que estão acompanhando com muita preocupação o que aconteceu com este golpe branco", disse em entrevista exclusiva à Sputnik Brasil

    Segundo a deputada, a presidente não estava sendo investigada por corrupção e sim por medidas administrativas. 

    "Muitos dos senadores que votaram para expulsá-la estão sendo processados por graves denúncias de suborno e corrupção. Estaremos muito atentos e esperançosos para que a situação no Brasil se normalize."

    Júlia diz que há um grande avanço da direita na América do Sul, por isso há a necessidade por parte dos militantes populares e progressistas de se fazer uma reflexão e se manterem muito unidos. 

    "Aqui na Argentina a direita voltou se organizar para recuperar o poder. Ela já retomou uma boa parte e não vai se deter até tomar o restante, com os recursos naturais e com todos os direitos que conquistamos, como faz Macri em muito pouco tempo."

    Mais:

    Gilmar Mendes chama de 'bizarra' a divisão da votação do impeachment de Dilma
    Day after: a ressaca do impeachment nas redes sociais
    Tags:
    direitos civis, golpe branco, preocupação, documento, deputados, impeachment, Câmara dos Deputados, Senado, Dilma Rousseff, Mauricio Macri, América Latina, Brasil, Argentina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik