10:09 19 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Protestos na Venezuela,foto de arquivo

    'Obama procura a instabilidade da Venezuela'

    © REUTERS/ Carlos Garcia Rawlins
    Américas
    URL curta
    7148057

    O governo venezuelano acusou os EUA e a oposição de prepararem um golpe de Estado na Venezuela. Este estaria, supostamente, previsto para esta quinta-feira, 1 de setembro.

    A oposição marcou para este dia uma marcha de protesto em Caracas, exigindo que a data do referendo sobre a demissão do presidente Nicolás Maduro seja anunciada.

    "Se tornou evidente a autoria do golpe de Estado, previsto para 1 de setembro. É um conluio da oposição antidemocrata e das forças de direita internacionais", disse o vice-ministro das Relações Exteriores venezuelano, Bernardo Álvarez Herrera, citado pelo canal Hispan TV.

    De acordo com Herrera, a administração de Barack Obama cria instabilidade na Venezuela e em toda a região com o objetivo de realizar os seus "planos imperialistas contra a paz e o desenvolvimento dos povos".

    As acusações do lado venezuelano são uma resposta às palavras do representante oficial do Departamento de Estado dos EUA, John Kirby, que condenou a decisão de Caracas de enviar para a prisão o líder da oposição, Daniel Ceballos, que anteriormente estava em prisão domiciliar.

    A relação entre os EUA e a Venezuela se deteriorou significativamente nos últimos anos.

    Em dezembro de 2010, o ex-presidente Hugo Chávez se recusou a aceitar o embaixador Larry Palmer, nomeado pelo presidente dos EUA Barack Obama, acusando o diplomata de declarações desrespeitosas sobre a Venezuela. Depois disso, Washington anulou o visto do embaixador venezuelano Bernardo Álvarez. Em resultado, hoje em dia as missões diplomáticas dos dois países estão sob chefia temporária.

    Mais:

    Cristina Kirchner: América Latina está recuando politicamente
    MRE: EUA estão tentando aumentar sua presença na América Latina
    Nicolás Maduro: processo de impeachment de Dilma ameaça toda a América Latina
    Tags:
    imperialismo, tensão política, tensões sociais, protestos, Nicolás Maduro, Barack Obama, EUA, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik