13:36 19 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    3983
    Nos siga no

    A Força Aérea norte-americana se prepara para escassez de pilotos de caça devido à concorrência entre as Forças Armadas do EUA e companhias aéreas civis.

    A Força Aérea dos EUA (USAF em inglês) é afetada pela insuficiência de recrutamento.

    «Neste ano, a falta é de 700 pilotos de caça, mas, de acordo com as previsões o número aumentará para mil pessoas em 2022», relata a CNN, citando o secretário da Força Aérea dos EUA Deborah Lee James e general David Goldfein, vice-chefe da Força Aérea norte-americana. 

    Eles acrescentaram que uma das razões da falta de pilotos é a concorrência que existe entre a Força Aérea e empresas aéreas civis. 

    "É esperado que empresas aéreas empreguem mais pilotos. Eles já vinham intensificando a contratação", declarou James. 

    David Goldfein sublinhou que o Pentágono prevê aumento de salário para pilotos de caça. 

    "Devemos tomar medidas para nos tornarmos mais competitivos", concluiu o vice-chefe da Força Aérea dos EUA. 

    A Força Aérea dos EUA conta com 5.778 aeronaves, cerca de 156 drones, 2.130 mísseis de cruzeiro e 450 mísseis balísticos intercontinentais. A USAF é composta por 330 mil militares no serviço ativo, 74 mil adicionais na reserva e 105 mil na Guarda Nacional Aérea. 

    Mais:

    Força Aérea dos EUA planeja bombardear céu com plasma
    Força Aérea dos EUA abandona seus aliados sírios durante batalha
    Tags:
    problema, falta, pilotos, concorrência, recrutamento, escassez, previsão, caça, Pentágono, Deborah Lee James, David Goldfein, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar