Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Autoridades centrais e regionais da Ucrânia estão divididas, diz The Washington Post

© AP PhotoO presidente ucraniano, Vladimir Zelensky, participa de uma reunião com comandantes militares durante visita à região de Nikolaev
O presidente ucraniano, Vladimir Zelensky, participa de uma reunião com comandantes militares durante visita à região de Nikolaev - Sputnik Brasil, 1920, 05.08.2022
Nos siga noTelegram
Existe uma divisão entre o presidente ucraniano Vladimir Zelensky e os prefeitos das maiores cidades da Ucrânia, comunicou a edição norte-americana The Washington Post.
Os prefeitos das principais cidades da Ucrânia, em particular Dniepre, acham que as autoridades centrais de Kiev, representadas por Vladimir Zelensky e a sua administração, colocam as regiões do país em segundo plano, a fim de manter o controle sobre os bilhões de dólares da ajuda internacional e enfraquecer potenciais adversários políticos, diz a publicação.
"Está crescendo a preocupação de que a administração Zelensky esteja prestes a abandonar as promessas e planos de descentralização do poder", salienta o The Washington Post.
Além disso, conforme a edição, os políticos regionais também não estão satisfeitos com a formação das administrações militares, cujos poderes excedem de forma significativa os direitos e competências dos órgãos de poder civis.
Anteriormente, foi comunicado que as divisões internas também afetam o Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU, na sigla em ucraniano). Segundo relatou à Sputnik um representante dos órgãos de segurança russos, referindo informações de oficiais do SBU, está surgindo uma divisão entre os agentes do SBU que fugiram dos territórios libertados pela Rússia e os que são a favor de uma "purga das forças", acusando os colegas de terem perdido os arquivos secretos e de seus subordinados terem passado para o lado de Moscou.
Em 24 de fevereiro, a Rússia iniciou uma operação militar para libertar o Donbass. O presidente russo Vladimir Putin declarou como seu objetivo "defender as pessoas que ao longo dos oito anos têm sofrido de intimidações e genocídio por parte do regime de Kiev".
Segundo o Ministério da Defesa, o Exército russo já cumpriu os objetivos principais da primeira etapa da operação, tendo reduzido de forma significativa as capacidades de combate das Forças Armadas ucranianas. As forças aliadas expulsaram totalmente as tropas ucranianas do território da República Popular de Lugansk. Ao mesmo tempo, na República Popular de Donetsk foram libertadas as cidades de Volnovakha – localidade estrategicamente importante perto de Donetsk, Mariupol – a maior cidade no litoral do mar de Azov, e Svyatogorsk, onde está situado um importante mosteiro ortodoxo.
Vladimir Zelensky, presidente ucraniano, vai a reunião com Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes dos EUA (fora da foto), em Kiev, Ucrânia, 1º de maio de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 04.08.2022
Panorama internacional
Zelensky acusa UE de atrasar artificialmente mais de US$ 8 bilhões em apoio financeiro à Ucrânia
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала