Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Irã diz que implementará acordo nuclear quando receber garantias econômicas dos EUA

© Ariana Lindquist/ONUMajid Takht Ravanchi, representante do Irã na ONU, durante reunião do Conselho de Segurança
Majid Takht Ravanchi, representante do Irã na ONU, durante reunião do Conselho de Segurança - Sputnik Brasil, 1920, 03.08.2022
Nos siga noTelegram
O Irã reafirmou nesta quarta-feira (3) que está disposto a retomar a plena implementação das obrigações do acordo nuclear de 2015 quando receber garantias dos Estados Unidos de benefícios econômicos.
Majid Takht-Ravanchi, representante do Irã na Organização das Nações Unidas (ONU), disse durante a Conferência de Revisão do Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP) que o país negocia "de boa fé" desde o ano passado "para retomar a execução total do acordo" e acusou os Estados Unidos de atrasar essa retomada.
"O cumprimento dessa meta está sendo adiado porque os EUA ainda não decidiram garantir que o Irã receba os benefícios econômicos prometidos pelo acordo", disse Takht-Ravanchi.
Celso Amorim, ex-ministro das Relações Exteriores e da Defesa, durante lançamento de seu livro Relações de Confiança: O Brasil na América do Sul, em 22 de julho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 03.08.2022
Notícias do Brasil
Celso Amorim: Lula foi responsável não só pela projeção como pela criação do BRICS
"Quando os EUA tomarem a decisão certa, o Irã interromperá suas ações corretivas e retomará a implementação plena das medidas relacionadas à esfera nuclear do acordo de 2015", acrescentou.
Em 2015, o Irã assinou o acordo nuclear formalmente conhecido como Plano Abrangente de Ação Conjunta (JCPOA) com Estados Unidos, China, França, Rússia, Alemanha, Reino Unido e União Europeia. O pacto exigia que o Irã reduzisse seu programa nuclear e reduzisse suas reservas de urânio em troca de alívio das sanções, incluindo o levantamento do embargo de armas cinco anos após a adoção do acordo.
O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, fala durante a Conferência de Revisão de 2022 das Partes do Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares nas Nações Unidas em Nova York, 1º de agosto de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 01.08.2022
Panorama internacional
Blinken: com base no que foi acordado, EUA estão prontos para prosseguir com acordo nuclear com Irã
Em 2018, os Estados Unidos se retiraram unilateralmente do JCPOA e impuseram sanções abrangentes ao Irã, levando Teerã a abandonar amplamente suas obrigações sob o acordo.
Em abril de 2021, as partes do acordo iniciaram negociações para restabelecer a vigência do JCPOA. Josep Borrell, chefe da diplomacia da União Europeia (UE), disse na última semana de julho que vai apresentar um texto conciliatório que considera ser o melhor possível.
"O texto representa o melhor negócio possível que eu, como facilitador das negociações, vejo como viável. Não é um acordo perfeito, mas aborda todos os elementos essenciais e inclui compromissos duramente conquistados por todas as partes. As decisões precisam ser tomadas agora para aproveitar esta oportunidade única de sucesso e liberar o grande potencial de um acordo totalmente implementado. Não vejo outra alternativa abrangente ou eficaz ao nosso alcance", declarou em artigo publicado no Financial Times.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала