Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Capacidade dos EUA de interferir 'no exterior' diminui à medida que ficam mais isolados, diz Irã

© AP Photo / Vahid SalemiComandante da Guarda Revolucionária, major-general Hossein Salami (foto de arquivo)
Comandante da Guarda Revolucionária, major-general Hossein Salami (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 01.08.2022
Nos siga noTelegram
O major-general Hossein Salami, comandante do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (IRGC, na sigla em inglês), ridicularizou o presidente dos EUA, Joe Biden, destacando a "diminuição" da capacidade dos EUA de realizar atos imperialistas, em um discurso no domingo (31) com outros altos funcionários do IRGC.
Salami disse que os esforços para criar regimes pró-EUA estão caindo "como dominós" assim que "o território político dos Estados Unidos da América está [...] testemunhando fracasso". Casos como Afeganistão, Síria e Egito, disse o alto comandante, "são sinais que anunciam [...] a derrota [total] dos EUA", informou Press TV.
A recente viagem de Biden a Israel e à Arábia Saudita também não foi poupada nas críticas de Salami. O comandante do IRGC observou que "Biden visitou a região para dizer que o Oriente Médio e o mundo islâmico ainda são prioridade de sua política externa, mas ele voltou para os Estados Unidos de mãos vazias".
"Quando a revolução [islâmica] venceu, os Estados Unidos tiveram um terrível e estranho controle político sobre mais da metade do mundo, também tiveram partes importantes, econômicas e estratégicas do mundo, dominaram os recursos econômicos do mundo, na região do mundo islâmico, todos os países ricos em petróleo faziam parte da geografia política deles [dos EUA]." Mas agora, notou Salami, os Estados Unidos estão isolados a um nível nunca antes visto.
O presidente dos EUA, Joe Biden, ao centro, o primeiro-ministro interino israelense Yair Lapid, à direita, e o ministro da Defesa, Benny Gantz, em frente ao sistema de defesa Iron Dome de Israel durante uma excursão no Aeroporto Ben Gurion, perto de Tel Aviv, quarta-feira, 13 de julho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 13.07.2022
Panorama internacional
Em Israel, Biden diz que EUA usariam força contra Irã 'como último recurso'
"Arábia Saudita, que costumava ajudar os EUA com dinheiro, hoje perdeu sua capacidade de resolver seus próprios problemas econômicos" e "os Estados Unidos da América ficaram tão fracos que praticamente não são percebidos" no Oriente Médio, disse Salami.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала