Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Argentina conseguiu apoio formal da China para entrar no BRICS, diz MRE

© AP Photo / Natacha PisarenkoPresidente da Argentina, Alberto Fernández (foto de arquivo)
Presidente da Argentina, Alberto Fernández (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 07.07.2022
Nos siga noTelegram
Em reunião de chanceleres nesta quinta-feira (7), a Argentina conseguiu o apoio formal da China para se tornar membro do BRICS, informou o Ministério das Relações Exteriores argentino.
Segundo a chancelaria, o aval foi dado pessoalmente ao ministro de Relações Exteriores, Comércio Internacional e Culto da Argentina, Santiago Cafiero, por seu homólogo chinês, Wang Yi. O encontro ocorreu em meio à reunião de ministros do G20 em Bali, na Indonésia.

"Wang Yi confirmou formalmente o apoio de seu país à adesão da Argentina ao grupo BRICS, em linha com o acordado entre os líderes do grupo, e a esse respeito destacou a participação do presidente [Alberto] Fernández na Cúpula de Líderes do grupo em 24 de junho, bem como a de Cafiero na reunião de ministros das Relações Exteriores em 19 de maio", disse o ministério, em comunicado.

Na reunião, o ministro argentino destacou que a Argentina pode contribuir com o BRICS para fortalecer e ampliar a voz de defesa dos interesses dos países em desenvolvimento no mundo, ainda de acordo com a chancelaria.
Os líderes dos países do BRICS. Da esquerda para a direita: o presidente chinês, Xi Jinping; o presidente russo, Vladimir Putin; o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro; o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi; e o presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 16.06.2022
Panorama internacional
Após 13 anos da 1ª cúpula, BRICS se prepara para novo ciclo com 'adeus à hegemonia' do Ocidente
O ministério argentino informou ainda que, na conversa, os representantes argentino e chinês "analisaram os temas mais importantes da agenda bilateral" entre as nações.
Os chanceleres concordaram em dar "um novo impulso" ao trabalho conjunto de alto nível, "com base no consenso" criado entre Argentina e China na visita do presidente Alberto Fernández à China, em fevereiro.
Cafiero e Wang também discutiram os avanços nas relações que permitam aumentar as frequências de rotas econômicas e explorar incentivos e descontos em fretes.
De acordo com a chancelaria argentina, atualmente a China é o segundo maior parceiro comercial do país e segundo principal destino das exportações argentinas.

"Os ministros concordaram que há um grande potencial de desenvolvimento em questões financeiras e de investimento. Cafiero destacou a importância de promover um comércio bilateral mais equilibrado e diversificado e ressaltou a necessidade de acelerar os processos de abertura de mercado", informou o ministério.

Presidente Xi Jinping em cerimônia no dia 8 de abril de 2022.  - Sputnik Brasil, 1920, 29.06.2022
Panorama internacional
Xiconomia: como a China e outras nações do BRICS tornam reais as aspirações de desenvolvimento
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала