Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

França pede que Irã e Venezuela sejam autorizados a retornar ao mercado de petróleo

© AFP 2022 / LUKAS BARTHO presidente da França, Emmanuel Macron, fala ao telefone antes de uma sessão de trabalho no Castelo de Elmau, sul Alemanha, durante a Cúpula do G7, 27 de junho de 2022
O presidente da França, Emmanuel Macron, fala ao telefone antes de uma sessão de trabalho no Castelo de Elmau, sul Alemanha, durante a Cúpula do G7, 27 de junho de 2022  - Sputnik Brasil, 1920, 27.06.2022
Nos siga noTelegram
O país gaulês também pediu aos produtores de petróleo que aumentem sua produção para que os preços da commodity baixem em nível global.
Esta segunda-feira (27), a França pediu que o Irã e a Venezuela possam regressar ao mercado petrolífero, ao mesmo tempo que solicitou que os países que abastecem o mercado petrolífero internacional aumentem a sua produção "de forma excepcional", segundo comunicaram fontes do Palácio do Eliseu ao Le Parisien.
As medidas solicitadas pela Presidência francesa foram apresentadas durante a cúpula do G7 (grupo formado por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido), que começou neste domingo (26) em Elmau, no estado alemão da Baviera, e vai até o dia 28 de junho. O objetivo do governo de Emmanuel Macron seria travar a subida desproporcionada que os preços dos combustíveis têm experimentado nos últimos meses.
Uma das principais razões para o aumento do custo dessas matérias-primas está no conflito em solo ucraniano e nas sanções contra a Rússia. Além disso, os EUA e seus aliados estão discutindo a possibilidade de impor limites aos preços do petróleo russo, informou a Reuters, citando um funcionário do governo alemão. A Bloomberg também informou que a medida deve ser realizada através da imposição de um teto ao seguro e transporte de petróleo russo.

O presidente ucraniano, Vladimir Zelensky, falou a favor da iniciativa nesta segunda-feira, depois que os líderes do G7 concordaram no domingo em apoiar a Ucrânia "pelo tempo que for necessário", fornecendo "apoio financeiro, humanitário, militar e diplomático".

"Aqui no G7, acho que estamos percebendo que a festa russa dos hidrocarbonetos acabou e todos estão procurando novas maneiras de se adaptar", disse o primeiro-ministro britânico Boris Johnson, no domingo, sobre problemas relacionados à inflação e à alta de preços, bem como a necessidade de encontrar novos fornecedores de energia e haver comprometimento com o desenvolvimento de fontes de energia limpas.
Da esquerda para a direita: o primeiro-ministro britânico Boris Johnson, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, o chanceler alemão Olaf Scholz, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, ao lado do presidente dos EUA, Joe Biden, se dirigem para o local da foto oficial dos líderes na Cúpula do G7, em Elmau, sul da Alemanha, 26 de junho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 26.06.2022
Panorama internacional
Em reunião do G7, líderes concordam em apoiar Kiev indefinidamente, diz mídia
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала