Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Ucranianos expulsaram pacientes e equiparam pontos de fogo em hospitais de Donbass, diz MD russo

© Sputnik / Aleksandr GalperinPrédio médico em ruínas em Rubizhne, 2 de maio de 2022 (foto de arquivo)
Prédio médico em ruínas em Rubizhne, 2 de maio de 2022 (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 21.06.2022
Nos siga noTelegram
Militares ucranianos e combatentes dos batalhões nacionais equiparam postos de tiro em instalações médicas de Donbass, em Privolye, Avdeevka e Slavyansk, disse o coronel-general Mikhail Mizintsev, diretor do Centro Nacional de Gerenciamento de Defesa da Rússia.

"No hospital central da cidade de Avdeevka (rua Kommunalnaya), da República Popular de Donetsk [RPD], os nacionalistas equiparam postos de tiro e pontos de atiradores, minando a comunicação com a instituição. A população local não foi notificada do ocorrido", informou Mizintsev, nesta terça-feira (21).

Além disso, em Slavyansk, nos territórios do internato psiconeurológico (rua Kurchatov) e da estação sanitária e epidemiológica (rua Svoboda), militantes das formações armadas ucranianas equiparam quartéis e estabeleceram equipamentos de artilharia e veículos blindados e autopropulsados de lançamento de foguetes M270.
De acordo com Mizintsev, os moradores locais não foram evacuados e são feitos ​​pelos nacionalistas de escudos humanos.

"Em Privolye (rua Lomonosov), da República Popular de Luhansk [RPL], os militares das Forças Armadas da Ucrânia, no território do Hospital Psiquiátrico Regional de Lisichansk, equiparam uma fortaleza com depósitos de munições e armas e colocaram veículos blindados e peças de artilharia, mantendo civis à força no porão", denunciou o coronel-general.

© Sputnik / Serviço de Imprensa do Ministério da Defesa da Rússia / Abrir o banco de imagensDiretor do Centro Nacional de Gerenciamento de Defesa da Rússia, coronel-general Mikhail Mizintsev, em Moscou, em 5 de março de 2022
O diretor do Centro Nacional de Gerenciamento de Defesa russo, Mikhail Mizintsev, durante briefing, em Moscou, 5 de março de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 21.06.2022
Diretor do Centro Nacional de Gerenciamento de Defesa da Rússia, coronel-general Mikhail Mizintsev, em Moscou, em 5 de março de 2022. Foto de arquivo
A Rússia iniciou a operação militar especial, em 24 de fevereiro, com o objetivo de "desmilitarizar" e "desnazificar" a Ucrânia, após pedido de ajuda das repúblicas populares de Donetsk (RPD) e Lugansk (RPL) para combater ataques de tropas ucranianas.
A missão, segundo o Ministério da Defesa russo, tem como alvo apenas a infraestrutura militar da Ucrânia.
Além disso, as Forças Armadas da Rússia têm acusado militares ucranianos de usar "métodos terroristas" nos combates, como fazer civis de "escudo humano" e se alojar em construções não militares.
Atirador de elite ucraniano na República Popular de Lugansk (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 21.06.2022
Panorama internacional
Ocidente fornece dados de inteligência aos batalhões nacionalistas na Ucrânia, diz autoridade russa
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала