Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Após anúncio de novas eleições em Israel, membros do governo prometem bloquear retorno de Netanyahu

© AP Photo / Abir SultanO primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu, à direita, senta-se com o então ministro da Educação israelense, Naftali Bennett, durante a reunião de gabinete semanal em Jerusalém, 30 de agosto de 2016
O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu, à direita, senta-se com o então ministro da Educação israelense, Naftali Bennett, durante a reunião de gabinete semanal em Jerusalém, 30 de agosto de 2016 - Sputnik Brasil, 1920, 21.06.2022
Nos siga noTelegram
Tendo sido primeiro-ministro por 12 anos e deixado o cargo em 2021, ex-líder israelense se "anima" com anúncio feito ontem (20) sobre a dissolução do Parlamento, entretanto, parceiros da gestão Bennett dizem que vão frear a volta de Netanyahu.
Após o primeiro-ministro, Naftali Bennett, anunciar ontem (20) que sua coalizão será dissolvida e o país terá novas eleições a partir de outubro, membros de seu governo articulam para que o ex-premiê, Benjamim Netanyahu, não volte à cena política israelense, segundo a Reuters.
Nesta terça-feira (21), os ministros da Justiça, Gideon Saar, e os das Finanças, Avigdor Lieberman, descartaram a possibilidade de unir forças com Netanyahu, que está sendo julgado por acusações de corrupção que ele nega.
"Eu não vou trazer Bibi [apelido de Netanyahu] de volta. Todos os membros do partido estão comigo. Ninguém vai sucumbir aos incentivos", afirmou Saar citado pela mídia.
Já Lieberman disse em uma conferência que os legisladores da coalizão podem vincular a moção para dissolver Parlamento a um projeto de lei que impediria qualquer pessoa sob acusação criminal de liderar um governo, mas um porta-voz do Knesset, o Parlamento israelense, declarou que tal ligação não era tecnicamente possível na votação marcada para quarta-feira (22).
Combinação de fotos mostra o ex-primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, se dirigindo a apoiadores na sede da campanha do partido em Jerusalém e Naftali Bennett, atual premiês, discursando para apoiadores, ambos em Tel Aviv - Sputnik Brasil, 1920, 19.04.2022
Panorama internacional
Bennett e Netanyahu trocam farpas após disparo de foguete da Faixa de Gaza para Israel
Em seus últimos dois anos no cargo, os problemas legais de Netanyahu negaram-lhe a sólida coalizão de direita que ele buscava em quatro eleições. Entretanto, a perspectiva de uma eleição já em outubro encantou o ex-premiê, que é o líder mais antigo de Israel deposto há um ano, após Bennett reunir em uma rara coalizão, políticos de extrema direita, liberais e árabes.
"Algo ótimo aconteceu aqui", declarou Netanyahu na segunda-feira (20), dizendo que seu partido conservador Likud lideraria o próximo governo.
Enfraquecido por disputas internas que puseram fim à sua minoria parlamentar, Bennett anunciou na segunda-feira (20) que vai dissolver o Knesset, com o ministro das Relações Exteriores, Yair Lapid, assumindo o cargo de primeiro-ministro interino.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала