Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Novo chefe do Estado-Maior britânico exorta a criar Exército capaz de vencer a Rússia

© Sputnik / Konstantin Mikhalchevsky / Abrir o banco de imagensMilitar russo em um comboio militar na estrada perto da fronteira com a Ucrânia na cidade de Armyansk, Crimeia
Militar russo em um comboio militar na estrada perto da fronteira com a Ucrânia na cidade de Armyansk, Crimeia - Sputnik Brasil, 1920, 19.06.2022
Nos siga noTelegram
O Reino Unido deve preparar-se para regressar à Europa continental para lutar e vencer um conflito contra a Rússia, disse o novo chefe do Estado-Maior do Exército britânico, general Patrick Sanders.
"Hoje existe um imperativo ardente para formar um Exército capaz de lutar ao lado de nossos aliados e derrotar a Rússia em combate. Somos a geração que deve preparar o Exército para lutar na Europa mais uma vez", escreveu ele em uma carta às tropas depois de assumir o cargo de seu antecessor, o general Mark Carleton Smith.
Sanders enfatizou que ele é o primeiro chefe de Estado-Maior britânico "desde 1941 a assumir o comando do Exército na sombra de uma guerra terrestre na Europa envolvendo uma potência continental", formulou ele cuidadosamente na sua observação, evitando mencionar o envolvimento da OTAN nas guerras iugoslavas dos anos 1990, incluindo o bombardeio de 78 dias da Iugoslávia em 1999.
O general apontou que a crise na Ucrânia realçou o "objetivo principal" do Exército de proteger o Reino Unido "estando pronto para lutar e vencer guerras em terra".
Recentemente, em uma entrevista ao jornal alemão Bild, o chefe da OTAN, Jens Stoltenberg, exortou os aliados a "estarem preparados" para que a crise da Ucrânia possa "durar anos", e ressaltou que o bloco "não deve enfraquecer o seu apoio à Ucrânia, mesmo que os custos sejam elevados – não só em termos de apoio militar, mas também devido ao aumento dos preços da energia e dos produtos alimentares".
Bandeira da Ucrânia ondulando em Stoyanka, a oeste de Kiev, 4 de março de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 15.06.2022
Panorama internacional
Tenente-coronel americano: 'não há nenhum caminho racional para a Ucrânia vencer'
Autoridades russas têm acusado o Ocidente de enviar bilhões de dólares em apoio militar à Ucrânia para prolongar a crise o máximo possível e "lutar contra a Rússia até o último ucraniano" através do conflito por procuração.
O Exército russo alertou que destruirá as entregas de armas ocidentais e mercenários estrangeiros.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала