Pessoas usando máscaras de proteção caminham por rua em Paris, França, 27 de maio de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Sociedade e cotidiano
As principais notícias, reportagens e artigos sobre sociedade e a rotina cotidiana.

Espécie de 'cão-urso' gigante que viveu há milhões de anos é descoberta na França

© Foto / Denny NavarraReconstrução de Tartarocyon cazanavei nov. gen. & sp. se alimentando de um golfinho encalhado ao longo de um mar do Serravaliano, entre 13,65 milhões e 11,61 milhões de anos atrás
Reconstrução de Tartarocyon cazanavei nov. gen. & sp. se alimentando de um golfinho encalhado ao longo de um mar do Serravaliano, entre 13,65 milhões e 11,61 milhões de anos atrás - Sputnik Brasil, 1920, 19.06.2022
Nos siga noTelegram
Pesquisadores encontraram na França uma nova espécie de anficionídeos, ou cães-urso, uma família onívora que deixou de existir há cerca de 7,5 milhões de anos.
Cachorros gigantes de uma espécie extinta até agora desconhecida foram descobertos na França, onde viveram há 12 milhões de anos, anunciaram em comunicado na quinta-feira (16) cientistas do Museu de História Natural de Basileia, Suíça.
Os pesquisadores analisaram um maxilar inferior nos depósitos marinhos de 12,8 milhões a 12 milhões de anos do local.
Após verificar uma morfologia única no quatro pré-molar, o animal carnívoro foi chamado Tartarocyon cazanavei, em homenagem a Tartalo, um pastor ciclope da mitologia basca, e Alain Cazanave, o proprietário das terras na área dos Pirineus em que as escavações ocorreram. O espécime pertence à família dos anficionídeos, ou cães-urso, como são comumente chamados, e foi encontrado em Sallespisse, no sul do país europeu.
Uma ilustração mostra o recém-identificado pterossauro cujo fóssil de aproximadamente 170 milhões de anos foi encontrado em uma praia rochosa na Ilha de Skye, na Escócia - Sputnik Brasil, 1920, 23.02.2022
Sociedade e cotidiano
Fóssil de pterossauro excelentemente preservado é descoberto na Escócia (FOTOS)
Extinta há cerca de 7,5 milhões de anos, a família era ecologicamente diversa, mas todas as espécies demonstravam dietas típicas mesocarnívoras (consistindo de 50-70% de carne), eram onívoras e trituradoras de ossos.
A equipe de cientistas estimou no seu estudo, publicado na revista PeerJ, a massa do animal em cerca de 200 kg, tornando-o um dos maiores anficionídeos conhecidos na Europa. De acordo com a pesquisa, a descoberta do Tartarocyon cazanavei ilustra ainda mais a diversidade da família na Europa, tanto na massa corporal quanto nas dietas.
A equipe indica agora ter a oportunidade de realizar análises abrangentes da diversidade taxonômica e ecológica dos anficionídeos para compreender melhor o impacto dos fatores bióticos e abióticos na evolução desses animais.
Os anficionídeos viveram durante o Mioceno, variando no seu peso entre 9 e 600 kg. Eles eram predadores de sucesso e parentes distantes dos mamíferos carnívoros modernos.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала